PUBLICIDADE
R$ 500 MILHÕES

Projeto do FEX depende de regime de urgência para ser votado no Senado

Representantes de Estados exportadores buscam apoio para evitar que texto aprovado pela Câmara pare em comissões

Da Redação

Equipe

07/12/2017 14h59 | Atualizada em 08/12/2017 03h32

Projeto do FEX depende de regime de urgência para ser votado no Senado

Reprodução/Internet

O projeto de lei de liberação de FEX (Auxílio de Fomento à Exportação) deverá ser votado somente na próxima semana no Senado. Os parlamentares representantes de Mato Grosso tentam articular tramitação do texto em regime de urgência, para evitar que passe por análises em comissões da Casa, o que trava a apreciação em plenário ainda neste ano.

“A Câmara pode mandar ainda hoje (7) para o Senado o texto, e teremos que trabalhar um apoio para que ele seja votado em regime de urgência, senão terá que passar por comissões no Senado. Ainda assim, é mais provável que seja votado na próxima semana porque há Medidas Provisórias travando a pauta na Casa”, disse o senador Wellington Fagundes (PR-MT) em entrevista à rádio Capital FM.

 A Câmara dos Deputados aprovou o texto da bancada de Mato Grosso em sessão na noite desta quarta-feira (6) com algumas ressalvas.  No fim da tarde de ontem, o deputado Fábio Garcia (PSB-MT), ainda tentou manobra para a aprovação de um projeto de lei da senadora Lúcia Vânia (PSB-GO) já tramitado pelo Senado.

 O objetivo era encurtar o tempo de tramitação da proposta para liberação do FEX aos Estados exportadores de commodities. No entanto, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), rejeitou o requerimento de Garcia.

Caso fosse o projeto da senadora, o texto seguiria diretamente para a sanção do presidente Michel Temer. O Projeto de Lei 8965/17, que põe à disposição R$ 1,9 bilhão de compensação às perdas da Lei Kandir, que isenta a taxação de commodities vendidas para outros países. Mato Grosso deve receber cerca de R$ 500 milhões.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE