PUBLICIDADE

Cultura - Página 70

Dezembro é o mês mais procurado para casamentos em MT, diz IBGE

Dezembro é o mês mais procurado para casamentos em MT, diz IBGE

Maio não é o mês mais procurado pelas noivas. Pelo menos, não em Mato Grosso. O mais concorrido para casamentos no estado é dezembro, de acordo com levantamento Estatísticas do Registro Civil de 2012, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em Cuiabá, de acordo com o mesmo estudo, novembro foi o mês com mais registros de matrimônios no ano passado.

Bola Preta comemora 95 anos

Bola Preta comemora 95 anos

O Cordão do Bola Preta antecipou pra esta sexta a comemoração do aniversário de 95 anos de folia - celebrado no dia 31. Na programação, roda de samba do Candogueiro e participações especialíssimas de Monarco e Sombrinha, a partir das 21h na sede do clube (Rua da Relação 03, Centro). O desfile de fim de ano, no entanto, que acontece sempre na última sexta-feira na Avenida Rio Branco, teve de ser cancelado. 

Natal Encantado da Família segue até hoje na Acrimat

Natal Encantado da Família segue até hoje na Acrimat

Milhares de pessoas já passaram pelo espaço de alegria e confraternização do Natal Encantado da Família, no Parque de Exposições da Acrimat, em Cuiabá. O local foi inaugurado no último dia 15 pelo governador Silval Barbosa e pela secretária de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas) e primeira-dama de Mato Grosso, Roseli Barbosa. Com diversificada programação artística e cultural, o espaço fica aberto à visitação até esta quarta (25). A entrada é gratuita.

Mais de 800 pessoas são esperadas para a Missa do Galo em Cuiabá

Mais de 800 pessoas são esperadas para a Missa do Galo em Cuiabá

Um público com mais de 800 pessoas é esperado para a tradicional Missa do Galo, nesta terça-feira (24), na Catedral Basílica do Senhor Bom Jesus de Cuiabá. De acordo com a Arquidiocese, a missa está prevista para começar a partir das 19h30 [horário de Mato Grosso]. 

Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá volta à cena após anos sem apoio
CINEMATO

Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá volta à cena após anos sem apoio

Texto e Fotos - Luiz Marchetti*   Ano de eleições vêm ai. Como cineasta/diretor que trabalha em diversas campanhas políticas ha mais de vinte anos observo a constante importação de profissionais de jornalismo, de câmera e montagem para as campanhas de audiovisual dos políticos. Poucos são aqueles que formam na íntegra uma equipe com profissionais de Mato Grosso. Falta mão de obra técnica especializada e com o frescor de inovar os apelos da imagem e do som na conquista do voto. A história mostrou que os mesmos lideres que não investiram no audiovisual durante mandatos acabaram por ter que pagar mais na manutenção temporária de uma mão de obra constantemente importada.    E isso vem desde o nascimento da ‘imagem em movimento’ , desde o nazismo. Seguiu depois, durante o plano Marshall a força do audiovisual, primeiramente em promover liderança ou depois por manter distribuição ideológica através do cinema, nestes casos pró Alemanha nazista e depois no inicio da conquista humilhante de Hollywood numa Europa devastada.*   A cobertura ideológica engrenada com distribuidores e emissoras de TV funciona em massa, em curto, a médio e a longo prazo. Na promoção turística todos vivenciamos o impacto que uma região ganha ao ver sua geografia difundida seja em curta ou longa, ficção ou doc. Esse fenômeno acontece na locação da imagem  ou na localização da mostra, vide Gramado e seu festival.    Todo o planeta deseja América não apenas pelo financeiro equilíbrio difundido pelos jornais, mas principalmente pelas sequências projetadas por todo tipo de mídia. Com os celulares capacitados para imagens em movimentos o audiovisual conquistou também a comunicação personalizada, maquiada de individual, de mídia confessional, onde o produto oferecido agrega sensação de exclusividade.     Em casa a torneira audiovisual aberta no computador e paralela a TV agora concorre  também com o fluxo cinematográfico de telefonia. Todos jogos de videogames apresentam parafernália de DVD e conexão TV para dinamismo em zapear por informação e link interativo. Eu vivo, logo assisto e participo.   No campo mercadológico vale lembrar que o cinema por mais artística que seja a equipe(reduzida) ela demanda trabalho em grupo. O trabalho é colaborativo, filmar demanda emprego para muitos, editar, montar e pós expandem ainda mais uma melhoria orçamentária para toda a indústria envolvida.    Na arena distributiva, outros profissionais são contratados gerando um fortalecimento empregatício e na manutenção de espaços físicos da Indústria Criativa. Fortalecer festivais de audiovisual é incentivar expressão popular e promover o vídeo como veículo cultural que atinge tantos cinemas populares quanto cineclubes acadêmicos.    A força do cinema hoje expande também projetos pedagógicos, os seminários recentes que participei foram todos estruturados com inserções de entrevistas, depoimentos e ilustrações em vídeo.    A SECRETARIA DE CULTURA DO ESTADO DE MATO GROSSO ao patrocinar o retorno do FESTIVAL devolve a vitrine de nossa indústria, emprega indiretamente  centenas de profissionais do Estado e promove a seriedade na manutenção de institutos fundamentais a nossa Cultura.   Uma positividade tamanha cresce agora pela internet a partir de todos que ali estiveram.   E o CIRCUITO MATO GROSSO, como nas edições anteriores, difundirá toda a programação do CINEMATO.    NASCIMENTO DE UMA NACAO   *A força cinematográfica, positiva ou destrutiva, demanda pensadores e realizadores profissionais. O NASCIMENTO DE UMA NAÇÃO(THE BIRTH OF A NATION – EUA 1915, mudo co-escrito, co-produzido e dirigido por D. W. Griffith, baseado no romance e na peça The Clansman, ambas de Thomas Dixon) é mencionado como ferramenta pioneira em campanhas políticas. Este filme gerou gigantescas controvérsias positivas e negativas pois foi usado pela Ku Klux Klan como ferramenta de recrutamento até meados da década de 1970. Festivais regulares de audiovisual, como CINEMATO, possibilitam diálogos e a verificação de melhorias fundamentais na Industria Criativa.    *Luiz Marchetti é Editor de Cultura do Circuito Mato Grosso.

Exposição de obras selecionadas começa nesta quinta

As obras selecionadas e premiadas para o Salão de Arte de Mato Grosso 2013 serão expostas a partir das 19h desta quinta-feira (19), no Pavilhão das Artes, no Palácio da Instrução, da Secretaria de Estado de Cultura (SEC/MT). A mostra, de artistas de 13 municípios,  traz uma composição de artes nas categorias de Pintura, Fotografia, Objeto, Vídeo-arte, Arte digital, Escultura e Instalação e fica aberta até o dia 21 de fevereiro de 2014, das 13h às 19h. A entrada é gratuita. 

Pavilhão das Artes abre exposição nesta quinta

Pavilhão das Artes abre exposição nesta quinta

As obras selecionadas e premiadas para o Salão de Arte de Mato Grosso 2013 serão expostas a partir das 19h desta quinta-feira (19), no Pavilhão das Artes, no Palácio da Instrução, da Secretaria de Estado de Cultura (SEC/MT). A mostra, de artistas de 13 municípios,  traz uma composição de artes nas categorias de Pintura, Fotografia, Objeto, Vídeo-arte, Arte digital, Escultura e Instalação e fica aberta até o dia 21 de fevereiro de 2014, das 13h às 19h. A entrada é gratuita. 

Jazz & Bossa Nova com Joandre Camargo na Casa do Parque
BRÉSILIEN

Jazz & Bossa Nova com Joandre Camargo na Casa do Parque

A Casa do Parque recebe Joandre Camargo nos dias 19 e 20 de dezembro, a partir das 21 horas, para a noite Brésilen – Jazz & Bossa Nova. As mais belas canções francesas e música popular brasileira em piano, voz e guitarra.

Aberta a exposição fotográfica que retrata os 60 anos de Rondonópolis
CULTURA

Aberta a exposição fotográfica que retrata os 60 anos de Rondonópolis

Transformar as fotos em textos, para atribuir mais sentimento A exposição fotográfica – Rondonópolis 60 anos – teve início no Museu Rosa Bororo. Com o objetivo de retratar seis décadas de história e evolução. A exposição é aberta ao público, de segunda a sexta, das 8 às 18h, e vai até o dia 22 desse mês.   Imagens que ilustram o primeiro Correio e Telégrafos de Rondonópolis, primeiro comércio e a última fala de Marechal Rondon ao lado dos Bororos, fazem parte do acervo fotográfico que apresenta a cidade desde a década de 50, com a chegada da balsa, até o ano de 2013, com a chegada do trem nos trilhos do desenvolvimento.   A pesquisadora e professora do Departamento de História, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) – Campus Rondonópolis -, Laci Maria Alves, ressalta a importância de resgatar a memória de Rondonópolis e a fotografia, segundo ela, é o meio ideal. De acordo com a professora, “falar dos 60 anos de Rondonópolis é falar sobre conquistas e essa exposição é uma conquista”.   O gerente do Museu, Luiz Ricardo Prado, disse que o trabalho em conjunto é essencial para a realização de todo evento, e agradeceu a parceria e apoio dos servidores da Secretaria Municipal de Cultura e dos professores e alunos do curso de História, da UFMT, na efetivação da exposição.   Transformar as fotos em textos, para atribuir mais sentimento. Esse é o projeto que o Secretário de Cultura, Luciano Carneiro Alves, pretende executar em parceria com os servidores e agentes culturais para a viabilização de um livro dos 60 anos do terceiro maior município do Estado de Mato Grosso.   Regional MT