PUBLICIDADE
GUATÓ: UMA REMADA NO TEMPO

Gravada no Pantanal, série do OFF mistura aventura, esporte e história

Premiado em Veneza, diretor Rico Faissol conta a história dos Guató e de atletas de SUP em 8 capítulos

06/10/2020 15h56 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Premiado no Venice TV Award 2020 e finalista do New York Film Festival 2020, o carioca Rico Faissol dirige programas de TV há mais de uma década. Este mês, estreia a série “Guató: uma remada no tempo”, no canal OFF. Gravado no Pantanal (antes das queimadas e da pandemia do novo coronavírus), o seriado conta a história do encontro da campeã pan-americana de Stand Up Paddle (SUP), Lena Ribeiro, e de seu treinador, Américo Pinheiro, com os guató, índios originários da planície pantaneira que se locomovem remando em pé numa canoa de madeira, uma espécie de SUP primitivo.  



 

Rico e os atletas estiveram por 15 dias no Pantanal, onde puderam vivenciar a rotina do povo guató. Também tiveram a chance de descobrir um dos biomas mais importantes e diversificados do mundo. 

 



--- Espero que a série sensibilize as pessoas para a necessidade de se preservar e estudar esta área única no mundo. No Pantanal, conheci pessoas que me marcaram. E trago memórias incríveis de um vasto território que parecia ainda intocado pelo homem --- lembra Rico. 

O diretor também teve a chance de desbravar outras regiões do país ao dirigir a série “Verão de boa”, premiada em Veneza, na categoria Branded Entertainment. Com cinco capítulos, o programa foi ar nos meses de janeiro e fevereiro no canal OFF. 

 

--- Essas duas séries, a Verão de boa e a dos Guató, fizeram com que eu tivesse muito mais vontade de conhecer o Brasil. Tenho uma lista de lugares que pretendo conhecer em breve e de histórias que quero contar. 

 

Formado em desenho industrial, Rico se dedica ao audiovisual há mais de 20 anos. Começou a carreira criando videografismo para programas de TV. Fundou, em 2007, a produtora Faissol Filmes e trabalhou no canal Woohoo antes de chegar ao OFF. Ao longo dos anos, filmou em mais de 30 países. Da Índia ao Canadá, passando por Israel, Japão e África do Sul, entre outros. Esteve gravando em favelas do Haiti, filmou programas de surfe na Índia, em local sagrado para os polinésios na Big Island, acompanhou personagens em vários estados do Brasil e esteve em Barcelona para mostrar como a cidade pode inspirar a arquitetura das pistas de skate. Além disso, foi o responsável por uma campanha beneficente para o Pró-Criança Cardíaca, exibida em emissoras de TV aberta e no cinema. 

 

No canal OFF, Rico estreou em 2011, quando a emissora entrou no ar. Foi responsável por dirigir, produzir e editar um dos primeiros programas com conteúdo 100% nacional: o seriado “A vida que eu queria”. Com cinco temporadas com a assinatura do diretor, a sexta está programada para 2021. 

 

--- É preciso muita resiliência para trilhar o seu próprio caminho. Nunca tive grana para estudar no exterior ou fazer cursos caros, então sempre aprendi muito na prática. Ao longo do processo muitas vezes você se cansa. Mas é preciso dar tudo de si sempre, pois é isso que vai elevar o nível do seu trabalho. Consigo me ver dirigindo, editando e produzindo por muito tempo mais. Para mim, esses anos à frente de programas de TV são apenas o início de uma longa jornada. 

 

.

FONTE: Assessoria



Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE