PUBLICIDADE
CELEBRAÇÃO

Prefeito cancela festival de 300 anos após veto do governo à Arena Pantanal

Decisão foi anunciada nesta tarde mesmo com a confirmação de seis artistas nacionais para apresentação em abril

Da Redação

Equipe

21/03/2019 16h49 | Atualizada em 22/03/2019 09h28

Prefeito cancela festival de 300 anos após veto do governo à Arena Pantanal

Reprodução/Internet

O prefeito Emanuel Pinheiro cancelou o festival de comemoração aos 300 anos de Cuiabá após o veto da Secretaria Estadual de Cultura e Esporte a realizar o evento na Arena Pantanal. A decisão foi comunicada em post de vídeo no Facebook na tarde desta quinta-feira (21).

Estavam confirmados para evento de três dias a apresentação de Jota Quest, Zezé Di Camargo e Luciano, Leonardo, Chitãozinho e Xororó, os cantores gospel Fernandinho, o padre Alessandro Caubói e artistas regionais. As apresentações ocorreriam entre os dias 6 e 8 de abril.

No vídeo, o prefeito diz que o cancelamento decorre do “individualismo” de setores. “Anuncio o cancelamento do festival em comemoração aos 300 anos de Cuiabá seria realizado nos 6, 7 e 8 de abril. Em virtude, do individualismo de alguns setores nossa capital não será mais presenteada com o Festival 300 Anos, que vem sendo planejada há oito meses”.

O veto do governo ao evento na Arena Pantanal foi divulgado no da manhã de hoje. O secretário de Cultura, Allan Kardec, afirma que decisão segue orientação do Ministério Público do Estado (MPE) sobre eventual judicialização do evento em data próxima ao início do festival.

Durante toda a semana, federações esportivas do Estado manifestaram insatisfação com o uso da Arena Pantanal para a realização do evento, alegando preocupação com a preservação do gramado e transferências de datas dos jogos já programados para a semana do aniversário da cidade. 

Para evitar o risco de Cuiabá receber sanções, como a perda de um ano de jogos da 1° fase do Campeonato Brasileiro Série B, além do risco de a festa de aniversário ser cancelada a poucos dias do evento em caso de judicialização da questão, foi tomada a decisão de não utilizar o espaço. 

No texto sobre o veto, a secretaria disse que o evento seria transferido para o complexo Sesi Papa, mas o prefeito Emanuel Pinheiro afirmou que avaliações já feitas apontam para falta de estrutura no local. Outras opções seriam a Orla do Porto, também descartada por baixa condições, e a Acrimat (Associação dos Criadores de Gado de Mato Grosso) que está em obras. O festival seria bancada pela iniciativa privada.

.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE