PUBLICIDADE
ANAMARIA BIANCHINI

Chegam ao Brasil vinhos produzidos de modo exclusivo por casal francês em famosa região da Argentina

09/09/2021 10h46 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

A região de Mendoza, na Argentina, é uma das produtoras de vinho mais famosas no mundo, em especial pelos vinhos Malbecs renomados produzidos lá.



Porém, Mendoza é subdividida em cinco sub-regiões que contêm uma série de vinícolas com vinhos singulares e processos particulares que enriquecem e justificam todo o reconhecimento dado à região.

Entre essas sub-regiões, a principal é conhecida como Primeira Zona, que é dividida em dois territórios: Lujan de Cuyo e Maipú. Em cada um desses lugares, os vinhedos assumem características ímpares e a possibilidade da produção de vinhos exclusivos.

Uma dessas vinícolas situadas em Maipú é a CarinaE Viñedos Y Bodega. Criada pelo casal francês Brigitte e Philippe Subra, o nome CarinaE faz referência a uma constelação observável no hemisfério sul, e como astronomia também é uma das paixões de Philippe Subra, e Mendoza é conhecida como um local de observação do céu, o nome da vinícola não poderia ser mais propício.



O casal francês chegou em 1998 à Argentina. Philippe, então diretor de uma multinacional francesa com operações na Argentina, resolveu abandonar a empresa e se dedicar à produção de vinhos.

Em 2003, deram início à vinícola com o objetivo de produzir vinhos com características singulares e de qualidade. Para isso, contrataram a assessoria do time de Michel Rolland, enólogo francês e uma das figuras mais icônicas no mundo dos vinhos.

“Os vinhos da CarinaE têm algumas características marcantes, como o fato de serem muito secos em boca. É possível notar a estrutura e, como são encorpados, isso dá uma distinção a esses vinhos, que são facilmente identificados como oriundos da CarinaE”, explica Jonas Martins, sommelier e gerente Comercial da MMV, importadora de vinhos que tem como um dos diferenciais a aposta em vinhos de pequenos produtores e qualidade excelente e que traz para o Brasil cinco novos rótulos da vinícola argentina.

Jonas explica que os vinhos de Maipú são geralmente encorpados e com final longo e adocicado, resultado do clima seco e terroir. Porém, os vinhos CarinaE têm um final bem seco e marcante, reflexo dos cuidados e detalhes de sua produção.

CarinaE e seus novos rótulos especiais

Na CarinaE, existem três espécies de uvas cultivadas: Syrah, Malbec e Cabernet Sauvignon. Essas uvas são utilizadas tanto em vinhos varietais quanto em blends (mistura) dessas uvas.

O Le Petit Ami é um 100% Malbec que merece destaque. Com um vermelho-rubi de média intensidade e toque de especiarias, fresco, seus aromas lembram frutas silvestres frescas, como groselha e moranguinho, e explora o máximo do terroir do vinhedo.

O nome é uma brincadeira com um dos vinhos produzidos na El Enemigo, vinícola vizinha da CarinaE, regida pelo renomado Alejandro Vigil, enólogo da Catena. A alusão é ao “El Gran Enemigo Cabernet Franc” (o grande inimigo) que tem, em contrapartida, o “Le Petit Ami” (o pequeno amigo) produzido pela CarinaE.

Outros 100% Malbec são o Harmonie e o Finca Deneza. De um vermelho-rubi muito intenso, bem redondo em boca, aromas de frutas vermelhas e escuras, tem o amadeirado em destaque. O Finca Deneza é produzido com uvas de Perdriel (Lujan de Cuyo) e o Harmonie 50% das uvas cultivadas em Cruz de Piedra.

Ainda entre os vinhos de um tipo de uva, o Odile Cabernet Sauvignon, mesmo não passando em barris de carvalho, tem grande potencial de guarda e aromas frutados. Já o Harmonie Syrah, envelhece em barril de carvalho francês por um período de 12 meses, com elevado potencial de guarda, nervoso em boca e com acidez e taninos muito altos e equilibrados. A recomendação é decantar.

Os vinhos produzidos com blend de diferentes uvas trazem os nomes da família como uma homenagem ao projeto familiar que é a CarinaE. O Cuvée Brigitte tem 55% Malbec, 36% Cabernet Sauvignon e 7% Syrah. Remetem ao nariz frutos vermelhos e escuros, como cereja, ameixa, cassis, com final defumado.

O Cuvée Philippe usa 33% Cabernet Sauvignon, 34% Malbec e 33% Syrah. Tem um tostado de madeira característico. O Prestige tem 27% Syrah, 9% Cabernet Sauvignon e 64% Malbec. É um vinho macio em boca com aromas trufados.

Segundo o sommelier da MMV, para quem tiver a oportunidade de visitar a região de Maipú, deve colocar em seu roteiro uma passagem pela vinícola CarinaE. “Os visitantes certamente serão recepcionados pelo casal Subra, com um vinho e muitas histórias sobre suas aventuras como produtores de vinho em terras argentinas”, conclui.

Quem traz os vinhos para o Brasil é a MMV.

Na foto, o time da importadora brasileira com o da vinícola CarinaE.

FONTE: Engenharia da Comunicação



Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE