PUBLICIDADE
TUTOR DE PRIMEIRA VIAGEM ?

Veja como preparar a casa para receber o pet e como manter a saúde dele em dia

No caso de filhotes, cuidados precisam ser redobrados para a adaptação do animalzinho ao mundo; pets mais velhos podem precisar de mais tempo para adequar ao novo lar

02/08/2019 08h00 | Atualizada em 02/08/2019 09h54

Veja como preparar a casa para receber o pet e como manter a saúde dele em dia

G1

Seja em uma grande ou pequena casa, um apartamento ou fazenda. Ter um pet transforma o ambiente de todas as famílias, não é mesmo!? Mas quando a gente é tutor de primeira viagem, ficam algumas dúvidas e é preciso se organizar um pouco para a chegada do novo membro da família. O é G1 É o Bicho separou algumas dicas valiosas, que vão te ajudar a preparar a casa e a rotina para uma convivência sempre saudável com o seu animalzinho.



Segundo a veterinária Hilda Carvalho Mendes Capuchinho, um contato prévio com o novo morador da casa pode ajudar, independente da idade do pet. "Os novos tutores podem começar a visitar o animalzinho, fazendo com que ele se acostume com a presença deles antes de ser levado definitivamente para o novo lar. É interessante também levar algo (paninho, brinquedo) com o cheiro do antigo ambiente para que o animalzinho possa se adaptar com maior facilidade ao novo ambiente".

Filhotes

Para quem vai ter o primeiro filhotinho em casa, a atenção à saúde do pet é essencial. É importante fornecer ração adequada e de acordo com a espécie de seu bichinho. Atenção ao cartão de vacinas. "A vacinação vai variar de acordo com o protocolo de cada veterinário, sendo iniciado normalmente aos 45 dias de vida do animalzinho. Importante lembrar de fazer a vacinação em clínica veterinária, com o veterinário, vacinas éticas. Até completar o primeiro ciclo de vacinas, o animalzinho ainda não pode passear na rua, apenas no colo".



Veterinária orienta atenção para vacinação dos filhotinhos — Foto: Arquivo pessoal
Veterinária orienta atenção para vacinação dos filhotinhos — Foto: Arquivo pessoal

Ainda segundo Hilda Carvalho, até o primeiro ciclo de vacinas ser completado, os banhos devem ser dados em casa. "Após imunização, os pets podem passar a frequentar pet shops. Não é recomendado que o animal tome banho toda semana, podendo ser a cada 15 dias ou ate mesmo uma vez ao mês" diz.

A especialista acrescenta que é importante pegar o filhotinho na idade certa, por volta dos 70 dias de vida. Muitas pessoas costumam pegar mais novinhos, com 30 dias, e isso pode acarretar alguns problemas futuros, como insegurança e agressividade do pet.

Como adaptar ao novo lar?

Se o pet tiver problema para dormir, por não ser acostumado ao novo ambiente, uma dica é nas primeiras noites deixar o animal próximo aos novos tutores, ainda com algum item, como uma coberta ou brinquedo que ele tenha costume.

"É importante ter cuidado nos primeiros dias quanto a fugas, é normal um animalzinho mais velho recém-adotado querer fugir. Tudo é questão de adaptação", ressalta a especialista para os pets que chegam ao novo lar já mais velhos.

Animais precisam de cuidados em casa, além da visita regular ao veterinário  — Foto: Arquivo pessoal
Animais precisam de cuidados em casa, além da visita regular ao veterinário — Foto: Arquivo pessoal

O ambiente da casa também precisa ser preparado para receber o primeiro pet para evitar riscos de acidentes, especialmente para os filhotes.

"É muito importante um cuidado redobrado com fios expostos, produtos de limpeza, piscinas sem proteção. Filhotes são bastante curiosos e poderão acabar se machucando em algumas situações. Em caso de gatos, é importante preparar a casa com telas de modo que o impeça de sair para dar 'voltinhas', assim como crianças, animais não devem sair de casa sem supervisão e é nosso dever cuidar disso".

Atenção também para a ingestão de itens que podem envenená-los ou trazer algum problema à saúde. Muitas vezes a curiosidade de explorar o novo ambiente é tanta que os pets saem vasculhando cada cantinho da casa. Então, nada de deixar fora do lugar materiais pontiagudos, como palitos de dente, caroços de alimentos, como a azeitona, e resto de plásticos, que podem fazer o pet engasgar.

Algumas plantas também precisam ficar longe do alcance dos animais dentro da casa, já que muitos podem ser tóxicas ao organismo. Guarde tudo que poder chamar atenção do seu amiguinho em armários fechados, locais altos e inacessíveis. Atenção com gatos, que aprendem a escalar os locais mais improváveis, com muita agilidade.

.

FONTE: G1



Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE