PUBLICIDADE
TERAPIA

Terapia com animais oferece benefícios físicos e emocionais

A Terapia Assistida por Animais consiste em um método, onde os animais auxiliam pacientes a atingirem os seus objetivos

08/07/2019 09h30 | Atualizada em 09/07/2019 11h14

Terapia com animais oferece benefícios físicos e emocionais

Reprodução/Internet

A Terapia Assistida por Animais consiste em um método na área da saúde, onde os animais auxiliam pacientes a atingirem os seus objetivos propostos em um tratamento. O benefício terapêutico com pets já vem sendo observado há algum tempo e teve início em asilos psiquiátricos na Inglaterra, em 1792.  



Desde então, estudiosos e profissionais da área começaram a dar mais atenção aos benefícios da relação homem-animal e, hoje, é utilizado em diversas áreas da saúde, até mesmo, em hospitais. 

Essas terapias têm como objetivo a inserção do animal na vida de pacientes em diversos tratamentos. Segundo a coordenadora do Curso de Terapia Ocupacional, do Centro Universitário da Serra Gaúcha (FSG), Claudia Scolari, os animais auxiliam na saúde física, psicológica, emocional, assim como na coordenação motora e reabilitação de indivíduos portadores de alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psicomotoras. 

Ela conta que os animais em geral, são ótimos quando se trata de questões relacionadas ao afeto. “Isso porque a presença deles é capaz de produzir a serotonina (hormônio da felicidade) no paciente, o que auxilia em diversas áreas no momento de um tratamento”, complementa. Além do resultado positivo relacionado à autoestima e bem-estar do paciente, alguns hospitais também exercem o trabalho terapêutico com animais para a recuperação de seus pacientes, como o Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo (SP), no qual a entrada de pets é liberada desde 2009, em situações em que houver autorização do médico responsável de cada paciente.  



Além da questão do afeto, os animais também auxiliam nas questões mais técnicas, como os cães guias, utilizados para guiar o deficiente visuais ou auditivos, ou os cães cuidadores, que são treinados e preparados para sinalizar possíveis perigos para pacientes com doenças crônicas. “Há, ainda, os cães de serviço, normalmente, pets acompanhantes de deficientes físicos”, finaliza a professora. 

.

FONTE: Cães e gatos



Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE