PUBLICIDADE
COLUNA DO PLOC

'A chegada da Porcelana foi a melhor coisa na minha vida'

Como muita gente me pergunta como é o meu relacionamento com a Porcelana, quero dividir com vocês minha experiência

13/04/2019 07h33 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

'A chegada da Porcelana foi a melhor coisa na minha vida'

Divulgação/Priscila Russo

Olá pessoAU! Há dois anos perdi totalmente o meu reinado. Mas você vai me dizer: como assim?

Quando eu tinha 4 anos de idade meus pais perceberam que eu andava um pouco isolado, na minha, meio quieto e acharam que era a hora de ter mais um dog para me fazer companhia.

Confesso que essa ideia não me agradou, afinal eu sempre fui o foco de toda a atenção e eu no fundo achava isto o máximo.

Eis que, um belo dia, chega Porcelana dentro da nossa casa. Um serzinho minúsculo com apenas 1Kg e 100 gramas. Tive um choque, uma mistura de felicidade com muitos ciúmes.

Essa foi a primeira noite da Porcelana aqui em casa e fizemos a Festa do Pijama

Como muita gente me pergunta como é o meu relacionamento com a Porcelana, quero dividir com vocês minha experiência de como é ter dois pets dentro de casa, ou melhor, dentro de um apartamento.

Os primeiros três dias foram tensos pois Porcelana, muito bebê ainda, queria o tempo todo minha atenção para brincar. E como eu acabei saindo da minha rotina, isto me estressou um pouco no início, mas logo eu e Porcelana nos adaptamos super bem.

Ter um cão em casa é uma delícia e ter dois cães é maravilhoso!

Um faz companhia para outro o tempo todo e juntos formamos a felicidade do nosso lar.

Para quem pensa em ter mais um animalzinho em casa para companhia, eu digo que foi a melhor coisa a Porcelana na minha vida, pois ela conseguiu trazer mais alegria no meu dia a dia. Hoje me alimento muito melhor, não fico doente como eu ficava antes, estou sempre ativo e disposto para qualquer atividade. Sem contar que Popô é minha super companheira. Quando estamos sozinhos em casa, ela me passa segurança pois sei que não estou sozinho e eu amo a companhia dela.

Como muitos sabem, fui adestrado e sou um cão muito bem comportado. O maior receio da minha mãe era que eu “desaprendesse” tudo que aprendi. Mas aí que ela se enganou, pois continuei sendo e fazendo o que sempre fui. Com isto Porcelana me copiou em tudo o que eu fazia e isto fez com que Popô desse muito menos trabalho do que eu quando tinha a idade dela.

Eu e Porcelana após uma semana

Mas, como todo animal, damos trabalho e principalmente quando nos adoecemos. Então esteja preparado para imprevistos como gastos com veterinário, vacinas, medicamentos, higiene, alimentação e lazer, afinal são dois e este custo aumenta, sim. Mas, em por outro lado, esse aumento de amor compensa tudo.

Seja apenas consciente. Ter um animal requer responsabilidade e dedicação por ao menos maravilhosos 10 anos!

Lambeijokas do Ploc!

.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE