PUBLICIDADE
ENTREVISTA

´O grande objetivo é fazer com que nossos alunos aprendam com qualidade', afirma secretária

O Governo do Estado investe R$ 150 milhões em construção e melhorias de escolas e prevê outros R$ 200 milhões para 2021

27/09/2020 16h12 | Atualizada em 27/09/2020 16h21

´O grande objetivo é fazer com que nossos alunos aprendam com qualidade', afirma secretária

Reprodução/Internet

Um total de R$ 150 milhões estão sendo investidos, apenas este ano, pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), na construção e melhorias das escolas da rede estadual de ensino.



Outros R$ 200 milhões, já previstos para 2021, serão aplicados na melhoria da ambiência escolar – em reformas, estrutura mobiliária, formação continuada e processo pedagógico.

“O grande objetivo é fazer com que nossos alunos aprendam e aprendam com qualidade”, diz a secretária de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, nesta entrevista.

Ela ressalta que este momento vivido pela Seduc é resultado da retomada da credibilidade do Governo do Estado (e da própria Secretaria) perante fornecedores e parceiros municipais. Confira a entrevista!



A Secretaria de Educação está passando por uma reformulação, que pretende ser uma virada de chave na educação do Estado. O que será feito para alcançar essa proposta?

Marioneide Kliemaschewsk – Para alcançar esta proposta, três pilares nos sustentarão – infraestrutura, valorização dos recursos humanos e melhoria pedagógica.

É importante salientar que, no pilar da infraestrutura, estamos investindo R$ 150 milhões na melhoria de nossas unidades escolares, beneficiando professores e alunos com espaços aconchegantes, acolhedores e propícios para a construção do processo ensino-aprendizagem.

Também já estamos aplicando o Programa Socioemocional, em parceria com o Instituto Península e Ayrton Senna, para todos os nossos professores e alunos da rede estadual de ensino. Sabemos do desafio, no período pós pandemia, de acolher nossos alunos e trazê-los para o processo pedagógico.

Além disso, estamos trabalhando com o Eduque Mais, um programa que permite aos pais acompanhar de perto o rendimento, a aprendizagem e a participação de seus filhos nas atividades escolares.

Estamos programando, para 2021, um grande investimento em tecnologias educacionais, com a reestruturação dos nossos espaços da biblioteca integradora. Levaremos esta tecnologia para as escolas, propiciando ao professor o contato com o mundo digital, com a mídia digital, com a educação remota e online, para suprir uma deficiência deste período de pandemia.  

Estamos focados em organizar projetos de melhoria da aprendizagem. O momento é de retomar a educação com uma grande virada, fortalecendo o processo pedagógico.

Por isso, em 2021 investiremos no Projeto Força-tarefa, cuja proposta é buscar estratégias diferenciadas para atender aos alunos nas dificuldades encontradas neste momento de pandemia. E no Pré-Enem, com foco no ensino médio, propiciando o contato dos alunos com as questões, com as atividades e com o programa de redação do Enem.

Na gestão escolar, a Seduc está promovendo o processo seletivo para secretários e diretores escolares. A meta é melhorar o processo pedagógico e a qualificação dos profissionais responsáveis pela articulação da aprendizagem nas unidades escolares.

Propiciar aos diretores e secretários não apenas o programa de formação continuada, como garantir a eles condições para o desenvolvimento de trabalho na escola, no chão da escola, onde de fato a educação acontece.

São investidos R$ 150 milhões em construções e reformas de escolas. O que mais está por vir?

Marioneide Kliemaschewsk – Há um grande investimento previsto para 2021 e 2022. O governador Mauro Mendes, com olhar sensível para a educação, priorizando a educação como uma transformação de vidas, nos deu credibilidade para desenvolver um trabalho pautado em melhoria de infraestrutura. 

O foco é na manutenção preventiva, na reforma geral da estrutura escolar, na revisão e reorganização de toda a infraestrutura mobiliária da escola e do parque tecnológico. Para ter uma ideia, há escolas que há mais de 40 anos não passaram por reforma, nenhuma intervenção em sua infraestrutura.

Para 2021, já estão previstos mais de R$ 200 milhões para melhoria da ambiência escolar. Não só na em reformas, como também em estrutura mobiliária, formação continuada e processo pedagógico. O grande objetivo é fazer com que nossos alunos aprendam e aprendam com qualidade. 

Teremos, pela frente, dois anos de muito trabalho, mas, pautado no grande objetivo de uma Secretaria de Educação.  Fazer com que o conhecimento chegue a todos os nossos alunos e se transforme em melhoria dos resultados pedagógicos.  

O Governo colocou em dia os repasses do transporte escolar, paga em dia os fornecedores. Como isso contribui para a Educação no Estado?

Marioneide Kliemaschewsk – Passamos nos últimos anos por situações de falta de liquidez, gerando descrédito dos fornecedores e parceiros municipais em relação à própria Seduc e ao Governo do Estado.

Ao colocar em dia todos os pagamentos de fornecedores e repasses municipais, recuperamos a credibilidade e voltamos a ter liquidez. Assim, pudemos estabelecer novas metas no planejamento e garantir que com esta credibilidade chegue onde ela precisa chegar - aos munícipes.

O governo estadual é um grande articulador da Educação, mas sob o ponto de vista do regime de colaboração, a educação acontece nos municípios, nossas escolas estaduais estão nos municípios.

Portanto, é necessário fortalecer esta colaboração. Entender que os alunos são de uma rede pública de ensino, independente de ser municipal ou estadual. O grande diferencial está em garantir à sociedade mato-grossense, aos nossos alunos, uma educação de qualidade. Qualidade que perpassa pela credibilidade da instituição Seduc junto aos fornecedores e aos municípios, para, através do equilíbrio econômico e fiscal, ter de fato possibilidade de maiores investimentos. 

Quais os desafios para garantir uma educação de qualidade para as crianças e os jovens e como alcançar estas metas?

Marioneide Kliemaschewsk –O grande desafio desta pandemia foi fazer com que nenhum aluno ficasse desassistido. Seja online ou off-line, como foram as opções nas aulas remotas.

Porém, os desafios do pós-pandemia serão bem maiores. Como reduzir os índices de evasão e retenção e melhorar a proficiência de nossos alunos. Tanto em Língua Portuguesa e Matemática como em todas as áreas do conhecimento.

Por isso, é preciso fortalecer o processo pedagógico. Propiciar ao professor uma formação continuada focada em oficinas das diversas áreas do conhecimento, garantindo o cumprimento da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), os direitos de aprendizagem, a melhoria da proficiência e, como resultado maior, a melhoria do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

Não se pode falar em qualidade da educação sem pensar na meta de cada unidade educacional do Estado com relação ao Ideb. Há alguns questionamentos sobre ser única referência de avaliação. Mas, é a única com série histórica e é consequência de um trabalho desenvolvido no interior da sala de aula, da organização pedagógica de uma unidade escolar, na gestão orientada para resultados.

É este o foco da Secretaria de Educação nos anos de 2021 e 2022. A gestão articulada e orientada para resultados.

Qual a missão da senhora a frente da Seduc?

Marioneide Kliemaschewsk – Estar à frente da Seduc tem sido um grande desafio. Assumi, quando era preciso buscar a liquidez desta Secretaria, honrar compromissos não cumpridos, articular e organizar um processo de melhoria da aplicação dos recursos, com redução de gastos e foco no pedagógico.

Em 2019, o grande desafio, nos sete primeiros meses, foi colocar a casa em ordem, pagar as contas, planejar o pedagógico, o administrativo e o financeiro com foco na melhoria da aprendizagem. Foi um ano difícil, marcado por uma greve.

Em 2020, a pandemia. Ou seja, poucas possibilidades de desenvolver um trabalho pedagógico com a qualidade esperada, sonhada.

Tenho tentado ter como missão articular o processo de virada educacional, que a Seduc tenha como foco fazer com que a aprendizagem chegue a todos os nossos alunos.

A meta deve ser sempre evasão zero, gestão 10. Uma Secretaria de Educação só existe, porque lá na ponta há crianças, adolescentes e jovens precisando aprender e aprender com qualidade.

Portanto, o grande desafio é fazer a virada da educação, que acredito ser possível quando todos juntos unem suas forças para realizar a melhoria do processo ensino-aprendizagem no interior de nossas escolas.

 

.

FONTE: Secom-MT



Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE