PUBLICIDADE
SUPERAÇÃO

Com paralisia cerebral, aluna da Unemat é a primeira a se formar em enfermagem no Brasil

Bruna Salapata se orgulha de superar o preconceito e conquistar o seu objetivo. "Eu venci"

13/08/2019 15h52 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Com paralisia cerebral, aluna da Unemat é a primeira a se formar em enfermagem no Brasil

Facebook

Uma acadêmica do Curso de Enfermagem da Unemat de Tangará da Serra foi destaque na semana passada. Aliás, ela sempre foi e promete continuar sendo alguém proiminente. Com paralisia cerebral, Bruna Salapata é a primeira a se formar na área no Brasil. O repórter Wellington Dias, do SBT (Bem TV), acompanhou a cerimônia de colação de grau de Bruna e de outros estudantes da Universidade. Foi um momento de muita alegria e emoção.



Em entrevista, Bruna conta que ainda “não caiu a ficha”, que está realizando um sonho antigo, o de trabalhar na área da saúde. “Só que as pessoas sempre achavam impossível, eu venci, enfrentei vários obstáculos, (…) foram anos difíceis, enfrentei preconceito de pessoas que achavam que uma pessoa com deficiência não poderia ser o que ela sonhava”, disse.

Segundo ela, algumas pessoas indagavam o motivo de escolher enfermagem e não Direito, Engenharia, Administração, por exemplo, a qual respondia prontamente: – Eu tenho que fazer o meu sonho, meu sonho é ser enfermeira, eu não posso deixar os outros sonharem por mim, eu tenho que sonhar os meus sonhos.

Por fim, ela deixa um recado para as pessoas: – Lute, porque você vai conquistar, não deixe ninguém falar o que você tem que ser. A única pessoa que tem que falar o que você tem que ser é você mesmo, acredite em você em primeiro lugar.



Marlene Salapata, mãe de Bruna, relembra os desafios da filha em busca de seus sonhos. “De primeiro ela pegava ônibus pra ir pra faculdade, depois ela ia de manhã, chegava às 7 [horas da manhã] e voltava as 6 da tarde, levava uma marmitinha pra comer, depois as coleguinhas levavam ela de moto, davam carona”, conta, visivelmente emocionada, lembrando ainda que no período do estágio a filha saia das atividades acadêmicas e ia para o hospital tomar soro, devido a seu problema de saúde.

“As vezes a gente reclama tanto da vida, aí você vê, não só ela, mas tantas outras crianças com deficiência, e vê o quanto eles se esforçam pra chegar aonde eles chegam”, destaca a mãe de Bruna.

Em breve, Bruna Salapata vai passar por uma cirurgia, em razão de uma luxação no quadril, depois ela pretende continuar trilhando caminhos e realizando sonhos, um mestrado ou um doutorado, bem como a possibilidade de ir para a sala de aula lecionar, não estão descartados.

O futuro dela ainda não foi traçado com precisão, mas sabe-se com exatidão que ele será brilhante, cheio de lutas, é claro, porém, repleto de conquistas e muito pioneirismo.

.

FONTE: Tangará em Foco



Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE