PUBLICIDADE
ENCONTRO

MPT sedia reunião do Fórum de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos

No mesmo mês, servidoras do MPT também participaram do ‘Fórum Juventude: seus saberes e fazeres

Da Redação

Equipe

26/10/2018 10h50 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

MPT sedia reunião do Fórum de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos

Reprodução/Internet

O Ministério Público do Trabalho (MPT) sediou neste mês mais uma reunião do Fórum Mato-Grossense de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos. O evento foi conduzido pelo promotor de Justiça Marcelo Caetano Vacchiano e ocorreu no auditório da Sede do MPT em Mato Grosso, em Cuiabá.

O Fórum também contou com a participação do promotor de Justiça de Diamantino, Daniel Balan Zappia, que fez uma apresentação sobre a atuação na Área de Proteção Ambiental (APA) Nascentes do Rio Paraguai para “Racionalizar a utilização de agrotóxicos, fertilizantes químicos, seus componentes e afins e obstar o plantio de Organismos geneticamente modificados (OGM)”.

Em seguida, a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), Mara Patrícia Ferreira da Penha, discorreu sobre o Plano de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos (VSPEA) em Mato Grosso.

Por fim, a pesquisadora da Universidade Federal de Mato Grosso, Mariana Verardi, apresentou o projeto “Alimentação Saudável através da Agroecologia”, que inclui o roteiro gastronômico ecológico, com indicação de locais para consumo de alimentação agroecológica, e o desenvolvimento de cursos e palestras, para estimular o ativismo agroecológico.

Vida e Luta

As servidoras Lêda Maria do Carmo Klein e Flávia Motta do Carmo representaram o Fórum Mato-Grossense de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, coordenado peloMPT em Mato Grosso, no ‘Fórum Juventude: seus saberes e fazeres - Mulheres: Territórios e Identidades, Povos Tradicionais e de Quilombo: Vida e Luta’. O evento ocorreu durante o 2ª Acampamento Territorial da Juventude da Baixada Cuiabana (II Acamjuv), realizado no dia 11 de outubro, em Santo Antonio do Leverger-MT.

Na ocasião, a professora da UFMT Márcia Correa Montanari, nutricionista e doutoranda em Saúde Coletiva, ministrou a palestra "O uso de agrotóxicos e os riscos na saúde da juventude rural", a fim de conscientizar os presentes dos danos causados pelo consumo do veneno.

O 2ª Acampamento Territorial da Juventude da Baixada Cuiabana é desenvolvido pelo Núcleo de Extensão em Desenvolvimento Territorial da Baixada Cuiabana da Universidade do Estado de Mato Grosso (Nedet/Unemat) e realiza atividades com a participação de jovens de Cuiabá, Jangada, Nossa Senhora do Livramento, Poconé, Santo Antônio do Leverger e Várzea Grande.

O objetivo é reunir jovens pertencentes a comunidades tradicionais e quilombolas, somados a mulheres rurais da Baixada Cuiabana, acadêmicos, professores da Unemat e outros convidados, para discutir os mais diversos aspectos da temática ‘Juventude’.

Fórum de Mato Grosso

O Fórum Mato-Grossense de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos é composto de entidades da sociedade civil, instituições governamentais e não-governamentais e teve suas atividades retomadas em dezembro do ano passado. Foi criado para proporcionar, em âmbito estadual, o debate das questões relacionadas aos agrotóxicos e produtos afins, de modo a fomentar ações integradas de proteção à saúde do trabalhador, do consumidor, da população e do ambiente.

A próxima reunião do Fórum está marcada para o dia 04 de dezembro de 2018, às 9 horas, no auditório do MPT-MT em Cuiabá, e é aberta à participação de todos.

.

FONTE: Assessoria

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE