PUBLICIDADE
CANTO CORAL

Terapia musical entre uma venda e outra é proposta de coral

Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá (ACC) aposta em coral de funcionários para melhorar qualidade de vida e promover tradição cultural

Catia Alves

Repórter

21/09/2017 06h00 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Terapia musical entre uma venda e outra é proposta de coral

Ilustração

A música e seu aspecto lúdico têm a capacidade de trazer leveza para as dificuldades que todos temos de enfrentar no dia a dia, bem como nos ajudam a ter acesso a um reservatório interno de força necessária para superá-los.

Pensando nisso, a Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá (ACC) abraçou o projeto Canto Coral, que será composto por funcionários do comércio cuiabano com o apoio dos empresários. A aposta é inovadora e promete criar uma tradição cultural no comércio.

Maestro Angelo 

Já é provado cientificamente que o ato de cantar provoca reações muito positivas no cérebro: diminui o estresse, melhora a coordenação motora, fortalece o sistema imunológico, reduz sintomas de depressão e ansiedade, e até ajuda na preservação da pressão expiratória em pessoas com doenças pulmonares obstrutivas crônicas (DPOC).

À frente do projeto está o maestro Ângelo Souza dos Santos e a gerente da Associação, Kelli Neves. Juntos eles coordenam os trabalhos e buscam captar mais pessoas para compor o Canto Coral. No mínimo serão 32 participantes, mas eles garantem que a tendência é que seja composto por mais pessoas.

“Nós fizemos um projeto, apresentamos para a Associação e a entidade acolheu e a gente acredita que será positivo. O funcionário precisa dessa terapia e nem sempre tem condições. Esse coral vai ir de encontro com o anseio de muitos”, avaliou o maestro.

Segundo o maestro, eles não querer ter só mais um coral, mas sim proporcionar qualidade de vida. “A maioria das pessoas que cantam, ou que fazem uma atividade além daquilo que o seu trabalho exige, normalmente reagem melhor. Ficam mais humanizados, os relacionamentos melhoram, ficam motivados”.

O projeto tem duas propostas inovadoras, que no começo causam um pouco de estranheza. Para que o Coral dê certo, o empresário terá que abrir mão do funcionário durante o expediente. A proposta feita pela Associação é de que, ao final do dia, o funcionário seja liberado do expediente para participar dos ensaios.

“Os ensaios precisam ser feitos em horário comercial. Esse será o diferencial. O funcionário não vai ganhar em espécie para participar, mas também não irá perder. O empregador terá que liberá-lo naquele momento, nada poderá ser descontado dele por ficar uma hora do expediente no ensaio”, explica o maestro.

O outro ponto é que para suprir a necessidade dos participantes na primeira fase, de adaptação, será utilizado o playback. Com um coro de pessoas experientes, que já fazem parte de um coral e que irão ajudá-los a ter mais confiança.

Na segunda fase do projeto, o maestro explica que os participantes do Coral vão gravar em estúdio as vozes deles e então irão cantar com as vozes deles, como a maioria dos cantores fazem. E na terceira fase, quando eles já estiverem bem melhores, vai se tirando aos poucos o playback, que segundo o maestro é uma inovação que irá ajuda-los a ficarem firmes.

Kelli 

“Trabalhar vocal é difícil, complexo. Eles dificilmente terão nível para levar sozinhos no primeiro momento. A maioria dos corais de empresa, quando chegam a certo nível eles vão minguando. Eu mesmo já fui regente de alguns e a gente vê que a maioria não vai para frente. Eles não ficam felizes com isso, porque eles veem que trabalham, trabalham e não ficam satisfeitos. Então a inovação é o playback, concha acústica e coral profissional que vai apoiá-los com o playback”.

O coro já está funcionando em caráter de implantação. Desde que começaram a ser feitas as avaliações, algumas pessoas já compareceram, mas o maestro conta que poucas estavam aptas a participar. A ideia é formar um grupo de no mínimo trinta pessoas.

Kelli explica que será feito um controle presencial ao qual o empresário, ou superior, poderá ter acesso para saber se o funcionário está participando do Coral ou não. Os ensaios serão às segundas e quintas-feiras, das 17h às 18h.

“Nós convidamos os empresários que quiserem conhecer o projeto, que eles entrem em contato com a Associação agendando uma visita minha ou do maestro para que possamos mostrar o projeto. Nós apresentamos e se tiver até três vozes na empresa que gostariam de participar, o maestro vai até a empresa e faz a avaliação lá mesmo”.

Para participar do Canto Coral, o participante precisa realizar um teste vocal mínimo para ver se tem afinação, ou retenção tonal suficiente. Caso tenha, o funcionário é convidado a participar dos ensaios e mostrar todo seu talento.

Inscrições

Para participar ou saber mais sobre o projeto, ligue para (65) 3317-1661 ou (65) 9 8404-1661 e se informe.

Motivos para soltar o gogó:

- Relaxar e aliviar a ansiedade;

- Soltar as emoções presas e diminuir a timidez;

- Turbinar a autoestima

- Abrir-se para o amor

- Respirar corretamente

- Melhorar a postura

 

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE