PUBLICIDADE
GANHA TEMPO

Cidadãos se revoltam com falta de senhas para emissão de RG no Ganha Tempo

Distribuição de números é feita em dois períodos, mas filas enormes se formam desde as 5h da madrugada

Karollen Nadeska

Jornalista

13/09/2017 14h40 | Atualizada em 13/09/2017 16h17 1 comentario

Cidadãos se revoltam com falta de senhas para emissão de RG no Ganha Tempo

Karollen Nadeska/CMT

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) de Mato Grosso está com a demanda reprimida na emissão de carteiras de identidade. O problema tem gerado inúmeras reclamações e a população está cada vez mais insatisfeita com o desserviço. Nesta terça-feira (12), o Circuito Mato Grosso foi conferir de perto a situação caótica do setor e se deparou com duas enormes filas na unidade do Ganha Tempo, região central de Cuiabá.

Jocinete (de costas) e o sobrinho aguardando atendimento

Jocinete Souza, 37 anos, moradora do bairro Parque Atalaia, foi uma das últimas a conseguir espaço na fila e por volta das 12h recebeu a informação de que as senhas tinham acabado.

“É um absurdo o que está acontecendo. Essa é a segunda vez que eu venho aqui com meu sobrinho. Ele está faltando às aulas e eu tive que deixar minha filha pequena com a minha mãe. Agora recebo a notícia de que a senha acabou, sendo que não é nem meio-dia ainda”, reclama a dona de casa.

Souza está fazendo um favor para o irmão mais velho que trabalha o dia inteiro e não faltar ao serviço para levar o filho de 16 anos para emitir a primeira guia do Registro Geral (RG). Ela ainda explica que o problema impossibilita o sobrinho de continuar matriculado na escola e, portanto, dar sequência às demais atividades da vida adulta.

“Ele precisa da identidade. A escola já está cobrando para fazer a rematrícula e também não é só por isso, todo mundo tem que ter esse documento para dar continuidade nas outras coisas da vida”, critica a cuiabana.

Taynara Souza Gavasso, 23, mora em Campo Verde (137 km ao sul) e veio até a capital em busca da carteira oficial do filho, que tem apenas 3 anos. Ela e o marido estão planejando de passar uma temporada na Itália, de onde descende e tem familiares. Para isso, é necessário que os passaportes estejam em dia, no entanto, o menor ainda não conseguiu o documento por conta do atraso no processo de emissão. Ela espera receber o documento em cerca de 50 dias, pois a viagem já está programada para acontecer no decorrer desse prazo.

Nayara, o filho e o marido após conseguir senha no Ganha Tempo

“Se soubéssemos que iria demorar tanto, tínhamos vindo mais cedo. Na verdade, estou com ele no colo e finalmente consegui a preferencial. Na parte da manhã, a moça me atendeu muito mal e disse que era pra retornar à tarde. Agora que estou aqui, por pouco não fiquei sem”, contou a auxiliar de saúde.

A jovem ainda faz uma observação importante quanto ao atendimento. “Para trabalhar nesse lugar tem que ter muita paciência. Eu mesma sei disso, trabalho em um hospital de lá [Campo Verde] e lidar com pessoas não é fácil, mas é preciso tranquilidade e ânimo, ou então dê lugar para outro que queira trabalhar”, disse.

Rodolfo Almeida da Silva, 23 anos, também aguardava ansiosamente na fila. Ele é residente do bairro Novo Tempo (região da Avenida Antártica), em Cuiabá, e pela segunda vez retornou ao Ganha Tempo na intenção de sair com o registro em mãos, autorizado.

“Só hoje [terça-feira] foi minha segunda tentativa. De manhã, lá pelas sete, a fila atravessava o quarteirão e a mulher me informou que era pra retornar à tarde, ou outro dia madrugada, porque as senhas tinham se esgotado. Tive que retornar porque sem documentação eu não consigo emprego e perdi a minha recentemente”, explica o rapaz.

Dona Nair Grizão, 57 anos, foi a terceira que acordou bem cedinho. A aposentada relata que não fosse pelo dinheiro ela e os netos passariam fome, de modo que tiveram que esperar o segundo turno para tentar alcançar uma das poucas senhas. A neta tem 16 anos e o menino, 13. Ambos nunca deram entrada no “passaporte de identificação”.

“Chegamos aqui logo cedinho, não havia mais senhas. Não fosse pelo pouco dinheiro que eu tinha, com certeza iríamos passar fome e agora estamos de novo na fila pra ver se pelo menos conseguimos as senhas”, disse.

Enquanto a reportagem apurava “o caos”, uma situação desagradável foi presenciada, em que atendente discutia com um cliente próximo ao balcão. Mas não foi possível desvendar o motivo da discussão, embora populares tenham informado que a atitude foi provocada por conta da falta de vagas.

Um pouco antes, o superintendente do prédio, Élio Vieira, já havia ido até a fila para informar quanto à situação. Ele informou que na ocasião apenas 70 seriam atendidos e que não compensaria deixar as pessoas aguardando. (Veja abaixo o vídeo)

“Hoje não será possível atender a todo mundo que está aqui na fila. O limite é estipulado pela Politec e nós só cumprimos ordens”, esclarece.

Ainda de acordo com o gestor, o Ganha Tempo para muitos é uma casa de refúgio e além do mais recebe por dia mais de 3 mil pessoas que vão buscar inúmeros serviços.

“Desde o horário em que as portas se abrem, tentamos recebê-los da melhor forma possível. Sabemos que não tem assentos para todos, mas com calma e compreensão conseguimos abrigar as pessoas. São mais de três mil atendimentos por dia”, ressalta.

Outro lado

O Circuito Mato Grosso entrou em contato com a assessoria da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) do Estado, que por meio de nota informou que o impasse existe no setor devido à falta de pessoal para agilizar o andamento do serviço e a modernização dos equipamentos para coleta da biometria – cujo procedimento faz-se necessário.

Quanto ao péssimo atendimento nas recepções, a assessoria esclareceu que o caso tem de ser encaminhado como forma de denúncia para a Ouvidoria do Estado, no telefone 0800 647 8987, para que seja apurada a conduta e por último tomadas as devidas providências.

Confira na íntegra a nota:

A distribuição de senhas de atendimento do posto de identificação da POLITEC dentro do Ganha Tempo é realizada de acordo com a capacidade de atendimento, sendo em média 160 senhas, sendo 80 pela manhã e 80 pela tarde. A distribuição de senhas é feita pela Central de Informação do Ganha Tempo. 

Esta medida é necessária devido ao quantitativo reduzido de servidores da POLITEC nos postos de atendimento e também à natureza do serviço que requer atenção ao cidadão na conferência e coleta dos dados biométricos, como assinatura e impressões digitais.  

Caso ocorram funcionários ociosos no final do expediente é porque no caso de alguma das senhas distribuídas as pessoas não compareceram ou ainda não chegaram para ser atendidas. A Diretoria Metropolitana de Identificação Técnica estuda a possibilidade de implantação do atendimento através de agendamento, cuja estimativa é causar maior agilidade no atendimento. 

​A demora no atendimento e no prazo de entrega do RG decorre da escassez de servidores da área de Identificação Técnica da POLITEC (papiloscopistas e técnicos administrativos) e à falta de modernização do processo de identificação civil, principalmente na sua captura biométrica e pesquisa das impressões digitais. Está em fase final de publicação o resultado do concurso público para o provimento de papiloscopistas que irão somar no atendimento ao público dos postos de identificação. 

Veja vídeo em que Ganha Tempo aparece lotado:

1 COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

  1. Isso que da empurrar com a barriga. O governo a seculos nao fazia o concurso para papiloscopista, e agora que fez adiou para DEZEMBRO a divulgaçao do resultado. Ate esse pessoal estar apto para a ativa ja sera 2019. Fora os materiais e condiçoes de trabalho pessimas. Faltando tudo, menos a correçao da taxa do RG. Parabens governo Taques.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE