PUBLICIDADE
LA GOURMANDISE

Cuiabanos podem saborear creperia genuinamente francesa no Morada do Ouro

Iguaria conquista o gosto dos cuiabanos que há dois anos podem “viajar” até a França por meio da culinária

Catia Alves

Repórter

30/04/2017 17h03 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

De sabor suave e delicado, o crepe francês pode ser apreciado em Cuiabá por amantes da boa culinária e curiosos. Diferente da iguaria suíça e da famosa panqueca brasileira, a massa do crepe francês salgado não contém glúten nem lactose e é integral. Em princípio, pode parecer estranho, mas depois de provar é amor à primeira mordida.

Porém, não é só de massa que o crepe francês é feito. Os recheios têm diferenciais também. Verduras e legumes são, em sua maioria, base para o prato. Talvez este seja o segredo para a leveza e elegância do crepe servido na capital pela La Gourmandise Creperia.

Localizado no bairro Morada do Ouro, na Avenida Djalma Ferreira de Souza, o negócio de família já está no mercado desde 2014. No início foi difícil, porque o sabor não agradava os clientes e adaptações tiveram que ser feitas. Mas, dois anos depois, a clientela já se consagrou e a crepe caiu no gosto dos cuiabanos.

A chef e proprietária da La Gourmandise Creperia, Isabelle Lebon, conta que precisou adaptar o recheio dos crepes, porque na França o recheio não é “generoso” como os brasileiros preferem.

“Quando começamos aqui, as pessoas pediram para acrescentar carne como, por exemplo, o filé mignon, e também o requeijão. Na França não tem requeijão e o que existe é muito caro. Lá se faz com frutos do mar ao invés da carne”.

Casada com o cuiabano Celso de Oliveira, Isabelle morou por 23 anos em Paris, onde criou os cinco filhos. Hoje, só o mais velho dos filhos mora na França, os outros quatro ajudam a mãe no estabelecimento que funciona de quarta-feira a domingo, das 19h às 23h, exceto aos domingos que fica aberto até 22h.

“Eu conheci meu marido aqui e o levei para a França comigo. Lá nós trabalhávamos e eu estudei na escola de gastronomia Chef Crêpière e de Pizzaiolo. Mas, eu sou de Normandia [noroeste da França], onde se faz muito crepe. Minha mãe faz crepe e desde pequena eu aprendi. Também trabalhei em um restaurante francês fazendo crepes”, contou Isabelle.

A origem é antiga. Os crepes são consumidos de várias formas há cerca de 9.000 anos e sempre estiveram presentes em muitas regiões da Europa. A primeira receita de que se tem notícia foi encontrada na França, por volta de 1390, em um livro chamado “Manger de Paris” (Comida Parisiense). 

Prato sobretudo rural, o crepe alçou voo para as mesas mais sofisticadas, preparadas com produtos exóticos e raros. Atualmente, são servidos de todas as formas: salgados ou doces; simples ou recheados; abertos, enrolados ou empilhados; como sobremesa ou entrada. Apesar de requintados, nos recheios os crepes mantêm desde a Idade Média a mesma forma simples e rápida de preparação.

A massa do crepe francês salgado é feita com o trigo sarraceno. De cor negra, é cultivado em lugares frios e consumido na forma de grãos ou de farinha. O trigo dá um sabor bem característico ao crepe francês. O crepe doce é feito com trigo normal, a farinha branca, assim como na França e no Brasil.

Ao provar o crepe, a diferença realmente é grande e é preciso estar aberto a provar novos sabores. É uma explosão deles dentro da sua boca. O trigo nunca antes experimentado, mais os temperos do recheio tornam a experiência ainda mais agradável. Mas aí vai uma dica: ao provar os crepes salgados, experimente a pimenta da casa. O azeite, mais as especiarias e a pimenta se completam com o restante do conteúdo.

AMANTES DO DOCE

Para os amantes do doce, o crepe doce não é enjoativo. Pelo contrário, é praticamente um pecado prová-lo tão rápido. A massa fina com o recheio, sorvete e frutas, é algo especial. Na creperia você pode provar o salgado e o doce em um combo no valor de R$ 32,90.

Uma novidade que ainda não está no cardápio é o crepe doce com a massa salgada. O recheio é de banana ou com compota de maçã e são indicados pelos garçons para quem não pode usar lactose ou glúten.

Isabelle conta que no começo, ao provar o crepe, os clientes faziam cara feia. “Ficava chato porque eles comiam o crepe e faziam cara feia. Mas havia uns que gostavam na hora. Agora, do crepe doce todo mundo gosta”, contou rindo.

Para quem quer conhecer um pouco da culinária francesa, a La Gourmandise Creperia está de portas abertas para te levar a essa “viagem” de sabores. “Se eles quiserem conhecer a cultura francesa, aqui é o lugar. Colocamos músicas em francês, a equipe é 100% francesa, então podem falar em francês com todos à vontade, temos clientes franceses, a comunidade francesa, belga, vem para cá”, convidou a chefe.

PIZZA E LANCHES

Além dos crepes, a La Gourmandise oferece pizzas e lanches, que foram muito importantes no começo, pois sempre tinha alguém que preferia o tradicional baguncinha ao crepe de aspecto diferente.

Já as pizzas agradam os clientes e são preparadas à francesa, segundo a chef Isabelle. “A massa é diferente, é feita na hora e à mão. O molho é da casa com ingredientes bem selecionados. Deixamos a massa descansar por alguns minutos, preparamos e servimos”. O prato com quatro pedaços serve até duas pessoas.

No local são oferecidos sucos naturais (laranja) e integrais (uva e maçã), refrigerantes, água, cerveja e vinhos. E quem prefere levar a comida para comer no conforto de casa também pode fazer o pedido antecipado pelo telefone: (65) 9 9341-3496.

Facebook: La Gourmandise creperia

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE