PUBLICIDADE
EDIR PINA DE BARROS

Lamento

03/12/2021 10h19 | Atualizada em 10/12/2021 14h43

Fito o manto estelífero e anilado,



rendilhado de encantos do infinito,

o mistério do tempo circunscrito

por saberes retidos do passado.



E a mirá-lo, em silêncio, de bom grado,

rememoro as metáforas do mito,

o sentido do mundo em que transito,

aprendido com índios, lado a lado.

Demiurgos e míticas figuras,

habitantes do cosmo, nas alturas,

no fantástico espaço luzidio.

Lamentável perder a humanidade

as riquezas de tal diversidade

renegada por séculos a fio.

Edir Pina de Barros é membro da Academia Brasileira de Sonetistas e da Academia Virtual de Poetas de Língua Portuguesa. Seus poemas estão disponíveis em vários livros, antologias, revistas eletrônicas e nas mídias sociais. É doutora e pós-doutora em Antropologia pela USP, professora aposentada (UFMT). Nasceu no Mato Grosso do Sul e hoje reside em Brasília.



Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE