PUBLICIDADE
JOÃO CARLOS MANTEUFEL JUNIOR

Maria nem tão Isabel

13/10/2020 13h29 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Não por acaso, a quarentena mostrou uma outra face dos brasileiros. Não é fácil ficar trancado. Ainda mais com quem você não conhece direito.



Sim, o brasileiro não conhecia a sua própria família.  

Cuiabano comum chega em casa as 19, dorme as 23, sai as 7. Mas com o isolamento obrigatório, a gente começa a reparar os detalhes.  Você vai conhecendo a fundo, vai percebendo os defeitos. Quando se trata de um casamento de muito tempo então, tudo é elevado a potência. Tá certo que o segredo para um casamento durar, é a arte de ceder, mas tem horas que passa os limites. Transborda os limites da razão. Será que ela fez mesmo isso? Como não havia percebido isso antes?  E presenciar uma cena daquelas, àquela hora da noite, despertou minha fúria:

- Epa! Epa! Epa! Agoraquequeéesse, Lilian!!!??????



- Que foi João???? Quase me mata de susto!

- Quem quase me mata é você! O que você pensa que está fazendo????

Lilian parece não entender e continua a mexer na panela. Eu insistindo.

- Tá colocando extrato elefante na carne com arroz?????!!!! Você não sabe que não se coloca extrato de tomate na Maria Izabel de cuiabano?????

Lilian para de mexer a panela e se vira com aquela cara de poucos amigos.

-- ãh???? Nem aqui você nasceu?

Um clarão na cozinha. O barulho do raio interrompe nossa discussão. Lilian desliga a panela na hora.  Aqui em casa todo mundo morre de medo de raio.  Pode ser porque toda vez que cai um, eu repito uma história que meu pai, lá na linha Comprida, só não morreu porque o raio que caiu no quarto saiu pela tomada. Ela acelera o passo dizendo:

- Se quiser, não come. Morrer de fome, você não vai!

Passa um helicóptero do exército dando um rasante. Maria começa a chorar. Chico grita pela mãe. João sai da sala de tv assustado e vai correndo em direção do quarto.

- Papai!!!! Parece até um ataque alienígena!!!!

Mais um clarão e um estrondo de balançar as janelas. Pego um pratão de carne com arroz, uma garrafa de água na geladeira e puxando um Pai Nosso, digo:

- Peraí, filho. Papai também vai. Não vou deixar você dormir sozinho!

Não preguei o olho. Acho que essa história de alien mexeu comigo. Afinal, com 2020, não se pode duvidar de mais nada. Pensando bem, se fosse em outro ano, até que iria comer mais um pouco da Maria Isabel, que o arroz ficou bom demaxxxxxx.

.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE