PUBLICIDADE
WÂNIA MONTEIRO

Crononutrição, o que é?

20/05/2020 10h42 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

O seu corpo tem um ritmo certo e funciona de modo diferente a cada período do dia. Isso acontece, por exemplo, para que você tenha disposição, fome e sono nas horas certas. Essas mudanças acontecem movidas principalmente pela liberação de hormônios e quem estuda esses padrões é a cronobiologia. A partir de pesquisas sobre o funcionamento do corpo de manhã, de tarde e de noite, outra área de conhecimento, a crononutrição, pode nos dar boas pistas sobre quais alimentos funcionam melhor em cada horário do dia. Pela manhã, os níveis de leptina (hormônio responsável, entre outras coisas, pela regulação do apetite e pelo gasto de energia corporal) estão baixos e um dos efeitos disso é uma mudança no nosso paladar. Até pouco tempo atrás, os nossos ancestrais não tinham acesso à energia elétrica, aparelhos eletrônicos ou alimentos industrializados. O corpo, desse modo, adaptou-se ao longo dos séculos para tirar o melhor proveito de cada refeição e para estar pronto para o trabalho (dia) e o descanso (noite). O problema é que, atualmente, a nossa rotina agitada acaba bagunçando um pouco esse relógio biológico. O trânsito diminui o tempo que temos para o café da manhã e o smartphone é o grande vilão de uma boa noite de descanso. E é exatamente na primeira e na última refeição do dia que devemos estar mais atentos. “A cronodisrupção [interrupção desses processos naturais do corpo] gera alteração no sono, nos centros hipotalâmicos da fome e da saciedade, e no metabolismo da glicose, contribuindo dessa forma para obesidade, diabetes e para o aumento da gordura visceral. O primeiro passo para retomar o funcionamento normal do nosso corpo, é estabelecer horários regulares para a alimentação. O café da manhã  é importante  para ativar alguns genes-relógio no corpo e informá-los de que o dia começou. Além disso, estudos apontam que omitir o café da manhã aumenta a expressão de genes para o acúmulo de gordura corporal e reduz a tolerância à glicose e aumenta o tempo de cortisol (hormônio relacionado ao controle do estresse) durante a manhã e atrasa a síntese de melatonina noturna, prejudicando a indução e a qualidade do sono. Para otimizar o seu relógio biológico, no café da manhã, coma uma  fonte de carboidratos como as  frutas, granola sem açúcar, aveia ou pão integral; e proteínas ovos (mexidos, cozidos ou omelete), iogurte, queijo de búfala ou queijo cottage; fibras: linhaça ou chia. É importante também que a primeira refeição do dia tenha uma fonte de triptofano, aminoácido associado ao controle do peso e à sensação de bem-estar. Semente de abóbora, aveia em flocos, chia, amêndoas, ovo e pistache são alimentos ricos nesse nutriente.Semana que vem falarei sobre as outras refeições.



 



.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE