PUBLICIDADE
MARÍLIA BEATRIZ DE FIGUEIREDO

Para sempre

15/04/2019 10h01 | Atualizada em 15/04/2019 10h03

Para sempre

Divulgação

Como a tempestade que se derrama pelos espaços, sinto aqui a necessidade de contar, destacando quatro importantes momentos: O primeiro é trazer aqui a gratidão à Wlademir Dias-Pino que permitiu que eu aprontasse um texto sobre seu modo de criar dando conhecimento ao público no Museu de Arte e Cultura Popular. Prazer intenso relembrar aquele que junto com meu pai ensinou o valor dos fracionamentos, das rupturas das coisas estabelecidas e, ao mesmo tempo apontava a lealdade humana como valor indispensável ao ambiente saudável. Assim sou grata à poeta Regina Pouchain, parceira do grande Wlademir pelas trocas que entesouradas acrescentaram ao meu conhecimento múltiplos desmascaramento das pretensões esdrúxulas. Assim, pois os que pretendem dominar a cena tremem diante da fatura wlademiriana e buscam plantar destroços no chão mágico da obra de WDP. E os ditadores pretendem seduzir com confetes o chão do processo, o espaço CONCEITUAL E A FANTASMAGORIA desse artista. Para sempre é meu encanto.

Outro momento que deixa lembrança para sempre é a ação do vereador M. Bussiki homenageando na Câmara Municipal ANA MARIA DO COUTO mulher que se distinguiu em todos os campos em que militou e, dando méritos à dezoito cidadãs que de alguma forma são destaques em nossa cidade e contribuem para o desenvolvimento humano. Importa ressaltar nesse evento o trato acolhedor da assessora do Vereador Giorgia A. De Franco que não poupa esforços para realizar tudo da melhor maneira possível mostrando sua competência. E também é dever sublinhar o emocionante e emocionado discurso de Telma Cenira Couto da Silva que teve uma dicção precisa e preciosa sobre sua tia. E por fim cabe destacar a iniciativa do Vereador Marcelo Bussiki que soube mostrar os verdadeiros valores femininos que entre tantos existem em nossa terra. São ações como essa que levam a gente cuiabana a buscar cada vez mais dar o melhor de si para este pedaço do centro oeste.

O outro momento que rememoro é a solenidade realizada na Casa Barão de Melgaço -300 Mulheres- por iniciativa da confreira Dra. Amini H. Campos que fez brilhar não só as agraciadas com o diploma como as artistas que encantaram o público. Foi um show de talento e elegância. Certamente não esquecerei de um evento de tamanha envergadura. Nos salões de nossa Academia Mato Grossense de Letras que abrigou, abriga e certamente abrigará eventos que acrescentam magia à nossa comunidade.

E por fim algo muito particular que marca meu estar no mundo é a presença de alguns amigos entre os quais destaco Adélia Badre Mendonça de Deus, Maurília Valderez do Amaral, Lucinda Nogueira Persona, Justina Fiori, Anna Maria Ribeiro da Costa entre outras. E faço isso para sublinhar o gesto mágico de M. Valderez com relação ao meu sobrinho neto Hugo Bandeira no dia em que presenteou o mesmo com um livro importante. Mas o que marcou não foi o presente foi a CARTA QUE ACOMPANHAVA O MESMO. Estar com Valderez, ter uma amiga assim é ser premiada para sempre.

Enfim cada uma amiga ou amigo transformam meu viver em estado ou estágio de pura observação dos vários tipos de beleza. Que tudo e todos sejam abençoados para sempre.  

E que o locus do Circuito Mato Grosso finque sua importante presença no seio de nossa comunidade trazendo para sempre notícias, colunas e artigos pontuais e importantes.   

.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE