PUBLICIDADE
POLIANA PELISSARI

A gripe

15/04/2019 07h37 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

A gripe

Divulgação

A gripe é uma infecção dos pulmões e vias aéreas por um dos vírus da gripe. Provoca febre, nariz escorrendo, congestão nasal, dor de garganta, dor de cabeça, dores musculares e uma sensação de mal-estar geral. A gripe é claramente distinta do resfriado comum, pois é causada por um vírus diferente e provoca sintomas mais graves e, além disso, a gripe afeta células muito mais profundas nas vias respiratórias. O vírus da gripe é transmitido por inalação de gotículas provenientes da tosse ou dos espirros de uma pessoa infectada ou pelo contato direto com as secreções nasais da pessoa infectada ou por utensílios domésticos que estiveram em contato com pessoas infectadas ou com suas secreções.

A cepa do vírus da gripe que causa surtos está sempre mudando e muito rápida, de forma que a cada ano o vírus da gripe se apresenta diferente em relação ao ano anterior. Muitas vezes, ele muda o suficiente para que as vacinas anteriormente eficazes não funcionem mais. As cepas da gripe tipo A recebem sua designação baseada nas versões específicas de duas proteínas presentes na superfície do vírus. As proteínas são H (para hemaglutinina) e N (para neuraminidase). Há dezoito diferentes proteínas H e 11 proteínas N. Assim, uma cepa pode receber o nome gripe A, H1N1. O nome de uma cepa frequentemente reflete seu tipo, o local em que surgiu pela primeira vez (por exemplo, gripe de Hong Kong) ou um animal (por exemplo, gripe suína) e o ano em que foi detectada.

Os sintomas têm início de 1 a 4 dias após a infecção e podem começar de repente. Os arrepios ou a sensação de frio constituem quase sempre as primeiras manifestações. A febre é comum durante os primeiros dias, às vezes alcançando 39 °C. Muitas pessoas se sentem doentes, fracas e cansadas, com dores por todo o corpo, particularmente nas costas e pernas. A dor de cabeça é muitas vezes grave, com dores ao redor e por trás dos olhos. A princípio, os sintomas respiratórios podem ser relativamente leves. Podem incluir garganta arranhada e inflamada, sensação de ardor no peito, tosse seca e escorrimento nasal. Posteriormente, a tosse pode intensificar-se e causar expectoração (escarro).

A garganta pode apresentar vermelhidão, os olhos podem ficar com lacrimejamento e a parte branca dos olhos pode ficar vermelha. As pessoas, sobretudo crianças, podem manifestar enjôos e vômitos. Algumas pessoas perdem o sentido do olfato durante alguns dias ou semanas. A maioria dos sintomas abranda ao fim de 2 ou 3 dias. No entanto, a febre, por vezes, pode durar até 5 dias. A tosse, fraqueza, suores e cansaço prolongam-se durante vários dias ou ocasionalmente semanas. A irritação leve das vias aéreas, que pode resultar na redução do tempo e intensidade que uma pessoa pode se exercitar, ou respiração ligeiramente sibilante pode levar 6 a 8 semanas para sarar por completo.

Em geral, as pessoas conhecem os sintomas da gripe e, visto que esta doença se manifesta por epidemias, a pessoa que a apresenta ou seus familiares costumam diagnosticá-la corretamente. A gravidade dos sintomas e a presença de febre muito alta e dores no corpo ajudam a distinguir a gripe de um resfriado comum, especialmente quando a doença ocorre durante um surto de gripe. É mais difícil identificar corretamente a gripe somente pelos sintomas quando nenhum surto está ocorrendo. Quando os médicos suspeitam que há pneumonia, eles tiram uma radiografia do tórax e medem os níveis de oxigênio no sangue com um sensor colocado no dedo (oximetria de pulso).

A prevenção consiste em vacinação a cada ano para todas as pessoas a partir de 6 meses de idade às vezes, medicamentos antivirais. A prevenção é importante para todas as pessoas, mas principalmente para profissionais de saúde e pessoas com alto risco de complicações da gripe. A vacinação anual é melhor forma de prevenção contra a gripe. As vacinas contra a gripe geralmente protegem contra três diferentes cepas do vírus da gripe, mas agora há uma nova vacina disponível que protege contra quatro cepas. As cepas do vírus que causam surtos de gripe mudam a cada ano. Assim, a cada ano são desenvolvidas vacinas diferentes para acompanhar as alterações nos vírus. A vacina diminui a taxa de infecção em 70 a 90% em adultos saudáveis.

O principal tratamento para a gripe consiste em repouso adequado, em beber grandes quantidades de líquido e em evitar qualquer esforço. As atividades habituais podem ser retomadas 24 a 48 horas após a normalização da temperatura corporal. Caso apresente alguns dos sintomas referidos acima, procure seu médico.

Até a próxima semana.

 

DRA POLIANA PELISSARI

MÉDICA GENERALISTA PELA UNIFENAS BH

.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE