PUBLICIDADE
POLIANA PELISSARI

Pneumonia

11/02/2019 08h08 | Atualizada em 11/02/2019 10h35

Pneumonia

Divulgação

É uma infecção dos pequenos sacos de ar, os alvéolos, do pulmão e tecidos circundantes. A pneumonia é uma das causas mais comuns de morte no mundo. A pneumonia não é uma doença única, mas muitas doenças diferentes, cada uma causada por um organismo microscópico diferente, que pode ser uma bactériavírusfungo ou parasita. As pneumonias bacterianas e virais são muito mais comuns do que as pneumonias fúngicas ou causadas por parasitas. Os organismos específicos variam de acordo com a idade, saúde, local de moradia da pessoa, além de outros fatores.



As nossas vias aéreas e os pulmões estão constantemente expostos a organismos microscópicos. Os pulmões lidam prontamente com estes organismos através dos seus mecanismos de defesa, que incluem o reflexo de tosse, que ajuda a expelir muco e substâncias estranhas, as células que revestem as vias pulmonares, que previnem a invasão de microorganismos nos pulmões e empurram o muco e substâncias estranhas de modo que possam ser expelidos pela tosse, as proteínas produzidas pelas células pulmonares que atacam microorganismos e os glóbulos brancos dentro dos pulmões, que são parte do sistema imunológico normal e também atacam microorganismos.

A pneumonia se desenvolve quando esses mecanismos de defesa não estão funcionando corretamente e uma grande quantidade de bactérias é inalada sobrecarregando as defesas normais e é quando ocorre a entrada de um organismo particularmente infeccioso

Algumas categorias de pneumonia incluem a Pneumonia adquirida na comunidade, que se desenvolve em pessoas vivendo na comunidade, a Pneumonia adquirida no hospital, que é uma infecção adquirida no hospital, a Pneumonia associada a assistência médica, que é uma infecção adquirida em uma unidade de saúde que não um hospital, como em um asilo ou centro de diálise, a Pneumonia por aspiração, que ocorre quando partículas (por exemplo, saliva, comida ou vômito) da boca são inaladas e não são eliminadas dos pulmões. A pneumonia por aspiração pode ocorrer em pessoas com dificuldade de engolir, como pessoas com histórico de AVC e em pessoas com nível diminuído de consciência devido ao uso de medicamentos sedativos, álcool ou outros motivos e a Pneumonia obstrutiva, que ocorre quando uma obstrução das vias aéreas nos pulmões (como um tumor) faz com que bactérias se acumulem por trás da obstrução



A pneumonia pode ser subsequente a uma cirurgia, principalmente cirurgia abdominal, ou lesão (trauma), particularmente lesão torácica, porque a dor desses quadros clínicos faz com que as pessoas não respirem profundamente nem tussam. Se as pessoas não respirarem profundamente nem tossirem, é mais provável que os microorganismos permaneçam nos pulmões e causem infecção. Isso inclui pessoas debilitadas, acamadas, paralisadas ou inconscientes. Essas pessoas também correm o risco de desenvolver uma pneumonia.

Outra característica fundamental é o fato de a pneumonia ocorrer em uma pessoa saudável ou alguém com um sistema imunológico comprometido que são aquelas que usam certos medicamentos (como corticóides ou quimioterápicos), as que possuem certas doenças, como AIDS ou vários tipos de câncer, as que possuem um sistema imunológico subdesenvolvido, como no caso de bebês e crianças pequenas ou um sistema imunológico desgastado por uma doença grave, como acontece frequentemente em pessoas idosas. Outros quadros clínicos que predispõem as pessoas à pneumonia incluem alcoolismo, tabagismo, diabetes, insuficiência cardíaca e doença pulmonar obstrutiva crônica porque estes distúrbios podem enfraquecer os mecanismos de defesa dos pulmões ou o sistema imunológico.

O sintoma mais comum de pneumonia é tosse com expectoração (muco espesso ou com coloração alterada), mas pode haver dor torácica, calafrios, febre e falta de ar. Esses sintomas podem variar em função da extensão da doença e do microorganismo causador. Os sintomas variam ainda mais em bebês e idosos. Pode não ocorrer febre. Pode não ocorrer dor torácica ou as pessoas podem não conseguir comunicar que estão com dor torácica. Algumas vezes, o único sintoma é a respiração rápida ou uma recusa súbita de comer. Algumas vezes, confusão súbita pode ser o único sinal de pneumonia em uma pessoa idosa.

Um médico ou enfermeiro verifica a presença de pneumonia escutando o tórax com um estetoscópio. A pneumonia geralmente produz sons característicos. Esses sons anormais são causados pelo estreitamento das vias aéreas ou preenchimento das partes normalmente cheias de ar dos pulmões por células e líquido inflamatórios; um processo chamado consolidação. Na maioria dos casos, o diagnóstico de pneumonia é confirmado com uma radiografia torácica.

A maneira mais eficaz de prevenir a pneumonia é parar de fumar. Exercícios de respiração profunda e terapia para eliminar as secreções ajudam a prevenir uma pneumonia em pessoas com alto risco, como as que se submeteram a uma cirurgia abdominal ou torácica e aquelas que estão debilitadas. Vacinas que previnem infecção por organismos que causam pneumonia são úteis. Algumas vezes quando uma pessoa não vacinada entra em contato com uma pessoa com um vírus que pode causar pneumonia (como influenza, varicela ou vírus sincicial respiratório), os médicos prescreverão certos medicamentos antivirais para tentar prevenir a infecção e a pneumonia. Existem vacinas disponíveis que oferecem proteção parcial contra alguns tipos de pneumonia como a vacina pneumocócica, a vacina contra influenza e a vacina contra varicela.

Geralmente, são iniciados antibióticos sempre que há suspeita de pneumonia bacteriana, mesmo antes do organismo ser identificado. O uso imediato de antibióticos tem grandes chances de reduzir a gravidade da pneumonia e a possibilidade de desenvolvimento de complicações, algumas das quais podendo levar à morte. Ao escolher um antibiótico, os médicos levam em conta qual organismo tem mais chances de ser a causa. Vários fatores podem dar dicas referentes ao organismo causador da pneumonia. Em geral, o médico escolhe um antibiótico com maior cobertura, significando que o antibiótico é eficaz contra uma ampla gama de microorganismos,

Lembrando sempre que qualquer problema de saúde você deve procurar o seu médico e evitar a automedicação. Até a próxima semana.

 

DRA POLIANA PELISSARI

MÉDICA GENERALISTA PELA UNIFENAS BH

.


Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE