PUBLICIDADE
Edmilson Eid

Desabafo

14/06/2018 07h30 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00


           A abertura do maior evento desportivo acontece hoje, quinta-feira, 14 de junho de 2018, “a Copa do Mundo da Rússia”. Neste ano, a cerimônia focará em atrações musicais e ocorrerá apenas 30 minutos antes do jogo entre Rússia e Arábia Saudita.

           Há quatro anos a Copa do Mundo aconteceu no Brasil, onde nossa cidade de Cuiabá foi umas das sedes escolhidas pela Fifa (Federação Internacional de Futebol).

          Como cuiabanos, sentimo-nos muito emocionados por sermos anfitriões deste evento internacionalmente reconhecido e prestigiado.

          Nossos sonhos, desejos e planejamentos para uma nova era de desenvolvimento da nossa capital. Foram lançadas 54 obras que mudariam a

paisagem urbana com tantos benefícios como a urbanização com viadutos, paisagismo, iluminação pública, obras do novo estádio, centros de treinamento e o aeroporto internacional como as normas de adaptações e alternações a construir.

           Todas as ilusões de que tudo fosse realizado como prometido e pelos gastos elevados por obras inacabadas e muitas não iniciadas. Uma vergonha, principalmente a promessa de ter um transporte público moderno na região metropolitana de Cuiabá no patamar de primeiro mundo. O VLT, veículo leve sobre trilhos que rasgou mais de 10 km de Cuiabá e Várzea Grande causando o maior transtorno urbano viário e aos pedestres.

          A falta de respeito e responsabilidade do governo e equipe gestora passou dos limites nos orçamentos das obras e superfaturamento, e não possibilitou a conclusão esperada por nós cuiabanos e a todos os empresários que acreditaram e investiram neste momento de crescimento esperado de Cuiabá.

          Durante a Copa do Mundo todos os problemas que o país está enfrentando são esquecidos por esse momento de euforia e alegria. Em seguida, a eleição nos envolve em obrigações de eleger novos comandantes, enfim deixando de lado o passado mal resolvido: “O que passou, passou”.

          Com o impacto ocorrido durante esses anos, sem nenhuma ou com poucas obras realizadas, fica a todos nós cuiabanos uma grande frustração de acreditar que não passou de um sonho ou pesadelo.

          A capital do sol e do povo hospitaleiro deixa a imagem de uma cidade sem história do passado, apagada com projetos e obras intermináveis num futuro tão próximo.

          Como brasileiros fanáticos por futebol, torçamos para que a Copa da Rússia após quatro anos no Brasil não seja um motivo para virarmos estas páginas de uma decepção a todos nós cuiabanos.

          Bola pra frente, Brasil!

                                                                 www.facebook.com/arqedmilsoneid

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE