PUBLICIDADE
Ana Raphaela Schelini

Projeto brasileiro vence prêmio de Melhor Edifício Sustentável das Américas

O edifício do Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS) foi o mais bem avaliado pelo público, com mais de 2.000 votos

Da Redação

Equipe

15/05/2018 11h08 | Atualizada em 15/05/2018 11h32


Para aqueles que ainda não sabem, o Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), projetado pelo arquiteto e urbanista José Portocarrero, venceu o prêmio BREEAM Awards 2018 como o melhor edifício sustentável das Américas e também venceu na categoria voto popular. Com base nas casas indígenas, referências em bioclimática, o edifício em Cuiabá-MT, se destaca pelo conforto térmico e utilização máxima da iluminação natural. Sua cobertura em duas cascas, possibilita o resfriamento interno do prédio e a captação de água da chuva, filtrada e armazenada para uso na irrigação do jardim e lavagem de pisos. 

O BREEAM Awards 2018 é concedido pela mais antiga empresa certificadora de construções sustentáveis no mundo, sediada em Londres. A BREEAM já avaliou mais de 250.000 edifícios em todo o planeta. Foram premiados 20 edifícios em várias categorias e países, com maior destaque para o Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), que foi o mais bem avaliado pelo público, recebendo mais de 2.000 votos pelo site.

O professor José Portocarrero foi convidado pelo Sebrae para desenvolver o projeto por causa de seus estudos sobre as habitações da etnia Bororo, no Parque do Xingu. A volumetria do Centro Sebrae de Sustentabilidade faz lembrar uma oca, porém, adaptada ao terreno em aclive.

Entre os benefícios do projeto, destacam-se o conforto térmico, a utilização máxima da iluminação natural e a cobertura em duas cascas, que possibilitam o resfriamento interno do prédio e a captação de água da chuva, filtrada e armazenada para uso na irrigação do jardim, lavagem de piso, banheiros, entre outros. Além da iluminação natural, "microusinas" foram implantadas no telhado, reduzindo o consumo de energia elétrica em cerca de 30%.

O edifício ainda conta com uma instalação de vermicompostagem, que recebe resíduos orgânicos da lanchonete e da poda de árvores e plantas. O jardim do CSS é integrado por espécies do Cerrado, Pantanal e Amazônia, biomas presentes no estado do Mato Grosso.

 

.

FONTE: Via CAU/BR e Romullo Baratto no ArchDaily

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE