PUBLICIDADE
Graci Ourives de Miranda

Pagar com prazer?

12/03/2018 09h41 | Atualizada em 12/03/2018 10h01


“A maior habilidade de um líder é desenvolver habilidades extraordinárias em pessoas comuns.” (Abraham Lincoln, 1809-1865).

Em se tratando dos impostos, deverá ser habilidade dos políticos ter sabedoria para administrar os recursos públicos. A finalidade do pagamento, é também para que o cidadão comum possa circular com desenvoltura e segurança pelas calçadas e praças da cidade.

Caráter e retidão é admirável nas posturas de muitos cidadãos brasileiros. Assim é a maioria da população que pagam os impostos.

E aí? os políticos sabem administrar os impostos?

Quando visitamos outros países, há de se notar a valoração dos recursos que advém dos contribuintes. Sentimos prazer quando temos transporte de qualidade, ruas limpas, hospitais que, todos sentem, igual perante a lei. Os recursos foram administrados devidamente?

Se podemos circular nas calçadas sem buracos, cidade limpa e os serviços básicos disponíveis, sem usuários de ilícitos ao entorno, estaremos prazerosos. Desta forma, excelentes gestores e políticas públicas. Dessa forma, tudo perfeito, agradável e com prazer.

Nós recebemos o convite para pagamento dos impostos, será que tenho e teremos benefícios? No Bairro Boa Esperança-Coxipó, a praça está infestada de caramujo africano (animal).

Citaremos um dos pagamentos que não nos dá prazer: O Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial-IPTU, que foi definido no art.32, do Código Tributário.

Bairro Boa Esperança, Cuiabá. IPTU é do município (Foto: Graci Ourives de Miranda, 12.03.2018)

A Constituição, no Art.5°, diz sobre o direito de propriedade e incluiu em seu caput, inciso XXII, o cumprimento da função social. E no Art.170 da Carta pontua a função, valorando a justiça social.

O ‘gigante’ Estado, segundo Secretaria Estadual de Planejamento (SEPLAN-02/2018), cresceu economicamente dez (10) vezes mais que a média nacional. Então, há motivo suficiente para MT ser admirável.

Importante destacar, há motivo para sentir prazer no ato do pagamento do IPTU? Ainda mais, avistamos as calçadas do Hospital Universitário Júlio Müller-HUJM?

O HUJM merece momentos de visita dos políticos. As ruas e calçadas, só Deus na causa, onde estão os olhares dos políticos?

Cadê os eleitos? As populações merecem nosso humanismo, a Constituição diz “todos” e ‘bem-estar’.

As populações precisam ser tratadas com dignidade pelo Estado gigante, se não implantam qualidade de saúde nos 141 municípios.

Nós pagamos os impostos deveríamos obter conforto e estabilidade ao caminhar pelas ruas da cidade. IPTU será um pagamento sem prazer, pois não estamos obtendo qualidade de serviços.

Bairro Boa Esperança - Cuiaba. (Foto: Graci Ourives de Miranda, 12.03.2018)

Poderes! Celeridade e ações, para que haja o bem-estar social. o pagamento sem prazer gera desconforto e inquietação da sociedade.

A pergunta é: Quem fez esses buracos? 

Bairro Boa Esperança, Cuiabá. IPTU é do município (Foto: Graci Ourives de Miranda, 12.03.2018)

* GRACI OURIVES DE MIRANDA, professora Português/literaturas: Língua Portuguesa e inglês/literatura inglesa. Registro LP9614565/Demec/SP-SP.  Especialização História Social - UFMT. Curso - USP-SP: “Prática de ensino da língua inglesa”. 02 artigos científicos - UFMT. 04 Livros publicados, sendo 1 - obra científica

go.miranda@uol.com.br

.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE