PUBLICIDADE
Iracema Borges

2017, grata por tudo; 2018, estou pronta

07/12/2017 08h08 | Atualizada em 07/12/2017 08h12


Este é o último artigo do ano. Hora de parar e respirar. Quantas vezes você já desejou ter uma vida melhor, mais livre, com mais significado e de acordo com seus valores e anseios mais profundos? Quantas vezes, no final de uma semana cheia, você se deixou levar pela fantasia de arrumar as malas e largar tudo? Hoje em dia muitos de nós vivemos com a incômoda sensação de que está faltando alguma coisa, de que a vida está passando lá fora. Se você se sente infeliz ou tem a sensação de que falta algo em sua vida, talvez fosse bom considerar que o que está faltando pode ser simplesmente você. Como foi 2017? Para o que/quem você disse SIM e consequentemente NÃO neste ano que passou? As suas escolhas estão alinhadas com o que DIZ querer? Penso que um dos maiores desafios da atualidade é diminuir a distância entre o que digo que quero e o que faço em direção a esse querer.

Todos queremos ser felizes, ter dinheiro, relacionamentos saudáveis etc., etc. Existem 7 bilhões de seres que querem, significa pouco, o desafio é AGIR. Olhe para os papéis mais importantes da sua vida, filha, mãe, companheira, amiga, profissional, o que precisa terminar, iniciar, transformar? Escreva sobre isso, registre. Recentemente um cliente de apenas 20 anos, Bruno Z, me ensinou uma grande lição, a técnica dos 5 segundos: segundo ele, se não tomar uma decisão ou agir em 5 segundos, as chances de fazer mais tarde diminuem bastante. Incorporei isso a minha vida e percebi que tem fortalecido as minhas ações. Surgiu uma ideia, me lembrei de uma tarefa, caiu algo no chão, vou lá e faço, 5 segundos. Ontem à noite durante um evento conheci Adriana, uma leitora da coluna que disse que tinha ido lá para me conhecer e me agradecer, isso reforça a minha missão. Recentemente me lembrei de uma história que li há 15 anos e me impactou muito.

“Existia uma mulher que era absurdamente feliz e todos queriam a sua receita da felicidade. Já próxima da morte, todos aflitos porque ela ainda não havia compartilhado a receita, insistiram. Ela com uma voz baixinha e fraca sussurrou no ouvido da amiga: independente de jovens ou velhos, ricos ou pobres, todos precisam de mim”. Sim, eu preciso de você e quando sinto que sou importante me curo do egoísmo e me comprometo mais com a vida. Grata Adriana pelo carinho, estamos juntas. Desejo a você leitora e leitor um 2018 com muito amor, de escolhas mais sábias, alegrias, saúde e muita ação. 2017, grata por tudo, 2018, estou pronta.

Namastê.

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE