PUBLICIDADE
CARLINHOS ALVES CORRÊA

Receitas famosas

05/10/2017 06h00 | Atualizada em 05/10/2017 07h29


Legenda

Cuiabá, terra da boa mesa, referência das delícias que marcaram época nos quatro costados da cuiabania. Das festas dos governos, bodas de 15 anos, casamentos, coquetéis, enfim, era uma série de eventos que envolvia as grandes banqueteiras da capital. Das famosas tortas, bombos, docinhos, glaçados, jantares e coquetéis, as senhoras: Maria Bastos, Terezinha de Jesus Bastos de Souza Vieira (Telé Vieira), Naná Fortunato, Elza Biancardini e Maria Galdina, essas pérolas deixaram um legado de suas marcas com as suas receitas famosas. Essas delícias não são esquecidas jamais pelas gerações que puderam se deliciar com as boas mesas que elas preparavam com grande maestria, inovação, sabedoria, que davam show em qualquer chef francês. A inovação dos cardápios sofisticados e criados por elas ganhou realce e elas se tornaram as verdadeiras autoras das receitas famosas da época, foi um grande estímulo para a gastronomia. Hoje as referências na Grande Cuiabá são Leila Malouf e Salete Oliveira, ambas consideradas as banqueteiras cinco-estrelas da capital; com as suas receitas famosas, elas vêm conquistando uma boa parte do mercado competitivo.

DOCE QUE ADOÇA A VIDA

Quando nos referimos a doces finos, glaçados, bombons, bem-casados, tortas e outras delícias que vêm de uma geração familiar, é de encher os olhos de sabor, beleza, qualidade, acima de tudo uma marca que marcou época nas grandes celebrações em Cuiabá. Neste resgate da frase “Doce que adoça a vida”, é uma verdadeira repaginação das receitas familiares que são feitas como eram feitas. Em se falando de doces finos, Carla Vieira Lima herdou o talento de sua avó Maria Bastos e da sua mãe banqueteira famosa Terezinha Vieira, e hoje, com a parceria com Isaura Alencar Ribeiro, montou a Charllote Patisserie, que está sendo um verdadeiro sucesso em Cuiabá, com especialidade em tortas finas. Enquanto isso, os Doces By Cida Fortunato só vêm crescendo a cada dia mais no mercado com finas iguarias, herdadas de Zelito e Naná Fortunato. Das lembradas receitas da sua Elza Biancardini, a sua neta Milena Biancardini elabora torta branca, chocolate e nozes, receitas deixadas por ela. Residindo há anos em Brasília, a cuiabaníssima Cecília Palma Falcão vem conquistando o mercado do mundo dos doces finos em nível nacional. Para mim, o melhor bem-casado do Brasil é da cuiabana Cecília Falcão. Cuiabá, berço das pérolas cultivadas que brilham no caminho do sucesso. 

LAVADEIRAS DAS ALMAS BRANCAS

Quando nos referimos às lavadeiras das almas brancas, vem logo à mente o córrego que tinha no Quintal Grande do Araés, hoje Avenida Mato Grosso. Referências das famílias cuiabanas eram as lavadeiras do Araés; quando Eliane Corrêa da Costa foi Miss Cuiabá, o seu traje típico foi “lavadeira do Araés”. Famosas também eram as lavadeiras da Lixeira, lavavam roupas para famílias abastadas da cidade, hoje neste local existe a bela Praça das Lavadeiras, que encanta a muitos visitantes com a sua beleza e é bem cuidada pelos moradores. Não se esquecendo das lavadeiras do Baú, que ficavam nos poços na Rua Corumbá; com o crescimento da cidade, adeus poços. Também o lembrado Tanque do Baú, que marcou época em Cuiabá com as árvores frutíferas, espaço para piqueniques, banhos, ponto de encontro das lavadeiras em altas gargalhadas e fofocas, contadas por elas. As águas das correntezas do rio Cuiabá, o cais do Porto, lugares que reuniam uma revoada de lavadeiras com um trabalho que engrandecia a alma branca.

 

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE