PUBLICIDADE
WANIA MONTEIRO DE ARRUDA

Menopausa, vixi e agora?!!!           

15/07/2017 09h37 | Atualizada em 30/11/-0001 00h00

Menopausa, vixi e agora?!!!           

Reprodução

A menopausa é um período de muitas alterações para a mulher. Além de sintomas como fogachos (ondas de calor) e perda da libido (prazer sexual), muitas mudanças começam a preocupar a mulher ainda ativa e cheia de vida. Aumento de gordura na região abdominal, humor instável, mudança na composição corporal e alterações na pele começam a ser percebidos. A pele é um tecido responsivo ao estrogênio, pois expressa os receptores para esse hormônio, assim a redução deste hormônio afeta muitas funções, principalmente a elasticidade, capacidade de hidratação, pigmentação e vascularização. Níveis reduzidos de estradiol estão associados ao aumento da secura, aspereza, diminuição da elasticidade e da densidade, bem como do conteúdo de colágeno na coxa, abdômen e púbis. Além da questão estética, a massa óssea e problemas cardiovasculares estão associados às alterações hormonais da menopausa. Uma alimentação anti-inflamatória que respeite a individualidade bioquímica e ainda uma microbiota intestinal saudável (que garanta, entre outras coisas, uma boa absorção de nutrientes) são fundamentais na manutenção do equilíbrio metabólico reduzindo sintomas e melhorando a saúde e vitalidade da mulher que passa por alterações hormonais.

 Alguns alimentos que podem ser incluídos são:

O gergelim tem demonstrado importante efeito na modulação hormonal aumentando o estrógeno; pode-se adicioná-lo a frutas, na omelete, nas saladas etc., fica gostoso e crocante.

A geleia real, além das funções anti-inflamatórias, diminui a pressão arterial e o colesterol ruim e tem demonstrado melhorar sintomas da menopausa por interagir com receptores de estrogênio. Pode usar pela manhã em jejum, melhora também a imunidade, as defesas do organismo.

Os flavonoides da romã (luteína, Kaempferol, quercetina, naringina e coumestrol) também parecem interagir com os receptores de estrogênio exercendo efeito modulador deste. Pode fazer suco ou comê-la.

As brássicas (couve-de-bruxelas, brócolis, couve, rúcula, couve-flor, repolho) melhoram o metabolismo da destoxificação do estrogênio. Devemos comer pelo menos uma brássica diariamente, pode ser nas saladas, ao dente com alho e azeite extravirgem, em sucos etc.

A cúrcuma possui a curcumina e o limão (D-limoneno), magnésio, vitaminas do complexo B (B6 e B12) são promotores da destoxificação dos estrogênios por estimular as enzimas da família da citocromo p450 (no fígado).

As isoflavonas da soja (missô-natu) e a semente de linhaça ou farinha de linhaça contêm lignanas que modulam a atividade estrogênica, bem como o chá verde, NAC, crisina, licopeno, Ac. alfa lipoico (antioxidante) e Ac elágico (uvas e frutas vermelhas). Procure um profissional nutricionista para te orientar nesse período obtendo, através dos alimentos, os ativos que lhe trarão saúde e amenizarão os sintomas da menopausa lhe ofertando mais qualidade de vida nesse período de diminuição hormonal.

 

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE