PUBLICIDADE
EXPORTAÇÃO

Dez municípios de MT fazem 50% das exportações do estado

Os dez municípios de Mato Grosso são líderes na produção de grãos, responderam por mais da metade do saldo das exportações

13/09/2017 07h27 | Atualizada em 13/09/2017 07h37

Dez municípios de MT fazem 50% das exportações do estado

Reprodução

Juntos, eles adicionaram US$ 5,244 bilhões ao montante total de US$ 8,487 bilhões faturados por 81 municípios exportadores no Estado, entre janeiro e agosto deste ano.

Liderados por Sorriso, os municípios de Rondonópolis, Querência, Sinop, Nova Mutum, Primavera do Leste, Lucas do Rio Verde, Campo Novo do Parecis, Sapezal e Diamantino compõem a lista e garantiram 61,78% do saldo das exportações. Além disso, conseguiram elevar em 2,80% a receita financeira gerada com o embarque de produtos para os mercados internacionais.

No mesmo período do ano passado foram assegurados US$ 5,101 bilhões com vendas externas negociadas pelos 10 maiores exportadores municipais de Mato Grosso. Outra constatação é que a quantidade de municípios mato-grossenses que venderam produtos para outros países aumentou, já que em 2016 esse número ficou restrito a 75 municípios. Eles movimentaram US$ 8,265 bilhões em exportações no ano passado.

Para o economista especializado em Comércio Exterior, Vítor Galesso, o surgimento de novos municípios exportadores é positivo para o desenvolvimento do Estado. “Significa que mais empresas estão aderindo às exportações. Demonstra que o potencial econômico e industrial de Mato Grosso preserva condi- ções de se desenvolver. Há mais pulverização. A concentração é sempre ruim nesses termos”, observa.

Contudo, ainda é preciso agregar valor aos produtos e diversificar os itens exportados, complementa o economista. De acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), 8 municípios mato-grossenses figuram ainda entre os 100 municípios brasileiros que mais negociaram com o mercado internacional.

Por posicionamento no ranking nacional de exportadores, Sorriso ocupa a 1ª colocação estadual e a 25ª nacional. É sucedido por Rondonópolis ( 2º no Estado e 38º no país), Querência (3º no Estado e 57º no país), Sinop (4º estadual e 70º nacional), Nova Mutum (5º estadual e 71º nacional), Primavera do Leste (6º estadual e 75º nacional), Lucas do Rio Verde (7º estadual e 79º nacional) e Campo Novo do Parecis (8º estadual e 85º nacional).

“Ser líder na exportação ajuda muito. Negociamos produtos primários e que têm ajudado a segurar a balança comercial brasileira”, comenta o secretário de Desenvolvimento Econômico de Sorriso, Cláudio Drusina. Segundo ele, os municípios adjacentes a Sorriso são beneficiados, já que também encontram a oportunidade de vender seus produtos e elevar a arrecadação de impostos.

Por sua vez, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Sinop, Daniel Brolese, aponta que o município vende sua produção principalmente para a China, Rússia, Espanha e Egito. Ele destaca o crescimento do agronegócio no município. “Sinop se tornou uma referência no Norte do Estado por seu desenvolvimento”. A projeção é que o município seja habitado por meio milhão de pessoas até 2030. “Se tiver uma média de crescimento de 6% ao ano, mas já crescemos muito mais”.

O secretário acrescenta que o município se destaca como polo educacional, com 17,2 mil universitá- rios. Os serviços prestados no município atendem 32 cidades da região. “Em fevereiro deste ano foram registradas 875 empresas novas e hoje já estão ativas no município 10,647 mil estabelecimentos”, conclui.

FONTE: A Gazeta

Comente, sua opinião é Importante!

PUBLICIDADE