PUBLICIDADE

Plantão - Página 9769

Magnata russo Boris Berezovsky é encontrado morto em sua casa na Inglaterra

Magnata russo Boris Berezovsky é encontrado morto em sua casa na Inglaterra

  O magnata russo Boris Berezovsky, de 67 anos, foi encontrado morto em sua casa na Inglaterra na tarde deste sábado. A rede de notícias britânica BBC atribuiu a informação a parentes e a um dos advogados de Berezovsky. O empresário sobreviveu a diversas tentativas de assassinato ao longo dos anos - entre elas um atentado a bomba que matou seu motorista.   No começo da década de 90, Berezovsky se aproximou do stablishment político da Rússia - de Vladimir Putin, em especial. Ele apoiou Putin quando este sucedeu Boris Yeltsin na presidência do país, em 1999. Mas o contato entre ambos azedou e o o magnata se tornou um crítico acerbo do regime de Moscou. Em 2000, depois de romper com Putin, ele se mudou para a Inglaterra e recebeu asilo político três anos depois.   A fortuna do magnata começou a ser amealhada no final dos anos 80, no setor automotivo. Em 1997, ela foi estimada pela revista Forbes em 3 bilhões de dólares. Ao longo da última década, tornou-se difícil avaliar a extensão de sua riqueza, calcada em uma rede pouco transparente de negócios. Um estimativa de 2012 falava em 700 milhões de dólares.   Nos últimos anos, Berezovsky envolveu-se em duas espetaculares batalhas legais. Numa ação de divórcio, sua ex-mulher, a russa Galina Besharova, conquistou o direito a um patrimônio de 150 milhões de dólares. Outro embate o o contrapôs ao compatriota Roman Abramovich, dono do clube de futebol Chelsea. A ação, de 3 bilhões de dólares, girava em torno da petrolífera Sibneft e foi a maior ação civil a história jurídica da Grã-Bretanha. Em 2012, Berezovsky foi derrotado nos tribunais.   Fonte: Veja Online

Registros de cervejarias cresceram quase 15 vezes em 20 anos

Registros de cervejarias cresceram quase 15 vezes em 20 anos

  Rio -  O ano de 2012 teve o maior número de registros de cervejarias por parte do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) dos últimos 30 anos, segundo levantamento feito pelo GLOBO a partir de dados enviados pelo órgão em 2012: foram 31 novos produtores da milenar bebida fermentada de grãos, que vem retomando um espaço de honra há muito perdido para o glamour do vinho. Vinte anos antes, o número era quase 15 vezes menor: em 1992, apenas 2 registros foram concedidos.    O Mapa contabiliza atualmente 232 estabelecimentos destinados à produção de chopes e cervejas. Analisados ano a ano, os dados comprovam a aceleração do mercado no país, geralmente abordada pelas associações e empresas por meio de estimativas e cálculos aproximados. Os últimos cinco anos, principalmente, foram intensos. Depois deste boom do mercado, o ritmo está mais lento neste ano, como não poderia deixar de ser; no primeiro trimestre de 2013, foram cinco novos empreendimentos, contra 12 em igual período de 2012.   Apenas quatro dos 26 estados não receberam autorizaçôes: Acre, Alagoas, Rondônia e Tocantins. Os pedidos vieram de 171 municípios em 22 estados e do Distrito Federal. O estado de São Paulo é o campeão, com 58 estabelecimentos autorizados. Em seguida, vêm Santa Catarina (28), Rio Grande do Sul (26), Minas Gerais (25), Paraná (20), Rio de Janeiro (17) e Goiânia (11). A cidade com o maior número, surpreendentemente, não fica em nenhum destes estados, mas no Amazonas: Manaus, com 7 registros. É seguida do Rio de Janeiro e Teresópolis (RJ) e Goiânia (GO), com 5; já Petrópolis (RJ), Porto Alegre (RS), Ribeirão Preto (SP), Curitiba (PR), Frutal, Uberlàndia e Nova Lima (MG) tiveram 4.     Segundo o ministério, os dados não distinguem os estabelecimentos por porte da produção. Mas, como gigantes do tamanho da Ambev, Grupo Petrópolis ou a Kirin Brasil (ex-Schincariol) não nascem da noite para o dia, a evolução das micros, pequenas e médias empresas ajuda a explicar a fermentação acelerada. Com as políticas de incentivos do governo militar aos grandes empreendimentos, os números nos anos 1970 e na primeira metade dos anos 1980 eram magros.   Em 1974, de acordo com os primeiros registros do Mapa, foram inauguradas quatro fábricas. Só cinco anos, em 1979, depois haveria outra autorização concedida, mais uma em 1984, outra em 1985, três em 1987 e duas no ano em que o país passava a ter nova Constituição. No ano da primeira eleição direta e no primeiro ano do governo de Fernando Collor de Mello, época do choque na economia, com a hiperinflação e o confisco da poupança, não houve registros. De 1991 a 1994, os números ficaram entre 4 e 1.   Após plano Real, primeira onda de artesanais   Com a inflação estabilizada e o retorno do empreendedorismo, no ano seguinte ao lançamento do Plano Real, em 1995, foram seis novas cervejarias, o maior número até então. Entre elas, duas que são atualmente respeitadas como pioneiras do movimento artesanal: a fluminense DaDo Bier e a paulista Colorado. A última, sediada em Ribeirão Preto, ficou conhecida mesmo entre o público não especializado por suas receitas que utilizam produtos tipicamnete brasileiros, como café, castanha do pará e rapadura.   Na cidade, um polo cervejeiro — formado, além das cervejarias propriamente ditas, por lojas de insumos cervejeiros e equipamentos e bares especializados — aglutinou-se em torno da Colorado. Processo semelhante vem ocorrendo em Nova Lima (MG), onde a prefeitura, para incentivar o mercado, facilitou o enquadramento destes estabelecimentos, antes restritos a periferias, no zoneamento urbano.   Em 2000, houve uma segunda onda de novas cervejarias: 13 registros, um por mês, média que se repetiu em 2002. A partir de 2006, não há número anual de concessões com menos de dois dígitos. Até o ano passado, os recordes pertenciam a 2007 e 2011, com 24, ou duas por mês.   Além do maior mercado consumidor do país, São Paulo concentra mais facilidades para abertura de empresas que muitos outros estados, mas a tradição germânica de fazer cerveja em casa pesa bastante no cenário nacional. Não é a toa que os três estados da região, onde a presença dos colonos alemães ainda é intensa, estão entre os cinco maiores números de pedidos aceitos pelo ministério.   O Rio de Janeiro, onde foi instalada a primeira fábrica que os historiadores identificam no país, em 1836, na antiga Rua Mata-Cavalos (atual Riachuelo), ficou um pouco para trás, mas esse quadro pode mudar nos próximos anos. Minas Gerais, atualmente, é sede de cervejarias de vanguarda como Wäls e Falke.   Produção nacional atrai estrangeiros   O império das louras geladas industrializadas produzidas aos bilhões de litros está muito longe de ruir. As pequenas e médias representam, segundo estimativas das entidades representativas dos fabricantes, cerca de 0,5% do volume total vendido no país. Mas o movimento artesanal brasileiro vem surpreendendo estrangeiros e despertado a atenção de investidores.   O número de cervejas registradas também é sinal da intensa atividade brasileira no ramo, ainda que os dados não permitam uma comparação evolutiva. São 2.657 chopes e cervejas devidamente certificados pelo ministério – conhecido entre os cervejeiros pela sigla, e por sua suposta rigidez excessiva na definição e na nomenclatura da bebida. Novamente, São Paulo é o campeão de autorizações, com 725, mas o Rio de Janeiro aparece logo na segunda colocação, com 338 produtos. Depois, vêm Paraná (270), Santa Catarina (266), Minas Gerais (252), Rio Grande do Sul (184) e Pernambuco (115).   A produção brasileira tem se destacado em competições internacionais, como o Mondial de la Biére, no Canadá, e a South Beer Cup, que no ano passada foi realizada em Blumenau. O portfólio nacional inclui rótulos respeitados mundialmente, como os das paulistas Colorado e Bamberg, esta de Votorantim, a catarinense Eisenbahn e a paranaense Bodebrown.   O desenvolvimento do país no setor também tem chamado a atenção de donos de cervejarias estrangeiras, principalmente europeus. No ano passado, vários deles visitaram o país e se interessaram em exportar seus produtos. Os altos impostos, no entanto, afugentam os empresários. Por este motivo, principalmente, os americanos evitam fazer negócios com o Brasil, segundo estudo encomendado em 2009 pela Associação dos Cervejeiros (BA, na sigla original) dos EUA.   Por outro lado, alguns de seus cervejeiros artesanais mais renomados — como Garrett Oliver, da Brooklyn Brewery, e Greg Koch, da Stone Brewing Co. — vieram ao Brasil produzir cervejas colaborativas com empresas locais. Da parceria de Oliver com os irmãos José Felipe e Tiago Carneiro, da mineira Wäls, surgiu a Saison de Caipira, que leva cana-de-açúcar; já Koch fez, junto com os também irmãos Paulo e Samuel Cavalcanti, da paranaense Bodebrown, uma cerveja acobreada, amarga, com adição de cacau, batizada Cacau IPA.   Fonte: O Globo  

Polícia investiga tarado que se exibe a crianças

Polícia investiga tarado que se exibe a crianças

  Os primeiros dois casos teriam ocorrido na cidade de Carlinda, a 30 Km de Alta Floresta. De acordo com o que as vítimas passaram à Polícia Militar, o estranho homem de estatura mediana –entre 1,61 a 1,70 metro -, gordo,pele claro, cabelos pretos, cerca de 30 a 40 anos, vai passando normal em um carro –Fiesta prata ou cinza modelo ret – e de repente chama a pessoa, simulando pedir informação.   “Mas quando a vítima chega, para tentar ouvi-lo percebe que a pessoa só está vestida numa camiseta e que na parte de baixo está nu, e ainda fica mostrando suas partes intimas para a pessoa”, comentou informalmente a tenente coronel Maria do Carmo de Roma, comandante do 8º Batalhão da Polícia Militar. “A gente pede o apoio da população para nos ajudar a identificar esse indivíduo que, por enquanto, ainda não atacou ninguém, mas tem provocado medo”, acrescentou a oficial.   Em Alta Floresta foi registrado um caso na tarde de quinta-feira por volta das 18 horas no setor H, centro da cidade. A vítima seria uma menina de apenas 10 anos. Com o mesmo modo de agir, o motorista pelado a chamou para pedir informação. Quando a garota ouviu realmente do que se tratava, gritou e saiu chamando pela mãe. O homem por sua vez, fugiu novamente.   Fonte: Jornal da Cidade  

Reeducandos em MT passam por campanha contra tuberculose

Reeducandos em MT passam por campanha contra tuberculose

  Uma campanha de prevenção à tuberculose mobilizou o sistema penitenciário durante o mês de março em Cuiabá e Várzea Grande, região metropolitana da capital. A ação também será feita a partir desta segunda-feira (25) em penitenciárias, cadeias públicas e centros de detenção provisória do interior do estado.   O objetivo, conforme a assessoria da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh),  é de alertar os servidores, a população carcerária e familiares que comparecem às visitas no sistema penitenciário, sobre a prevenção, transmissão e tratamento da doença.   A campanha, realizada pela gerência de Saúde do Sistema Penitenciário, ocorre por ocasião do Dia Mundial do Combate à Tuberculose, no dia 24 de março. De acordo com o gerente de saúde Hozano Delgado, a mobilização também pretende identificar os novos casos e oferecer o devido encaminhamento.   Na mobilização são realizadas palestras, distribuição de material educativo, busca ativa para casos de tuberculose e baciloscopia.  A tuberculose é uma doença causada por uma bactéria que ataca principalmente os pulmões, mas pode também ocorrer em outras partes do corpo, como ossos, rins e meninges (as membranas que envolvem o cérebro).   Ela é transmitida de pessoa a pessoa ao espirrar, tossir ou falar, quando o doente com tuberculose expele as bactérias que podem ser aspiradas por outras pessoas.   Conforme a Sejudh, em 2012 foram registrados 189 casos de tuberculose no sistema penitenciário, todos devidamente encaminhados para tratamento. Desses dados, o índice de cura chega a 80% em um tratamento de até seis meses.   Fonte: G1

Patrulha do Sossego combate poluição sonora no interior de MT
SILÊNCIO

Patrulha do Sossego combate poluição sonora no interior de MT

  A Polícia Militar de Rondonópolis retomou na semana passada os trabalhos da Patrulha do Sossego que tem como objetivo coibir a poluição sonora na cidade, muito comum nas principais avenidas da cidade. Conforme o site Agora MT, a comandante da 2ª Companhia Ambiental de Rondonópolis, tenente Nágila de Moura Brandão Seganfredo, explicou a corporação já iniciou os trabalhos de orientação na cidade sobre o início das atividades e agora começaram as apreensões. Conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), os níveis toleráveis de decibéis váriam de acordo com o horário e local, podendo chegar até 70 decibéis em área de indústria e 55 decibéis, no período noturno, em região onde há residência e comércio. Geralmente os locais onde há um excesso no volume do som contribuem com outros tipos de problemas, como por exemplo, brigas, conflitos entre vizinhos e descaminho de menores no uso de bebida alcoólica ou outra substância. No primeiro dia da ação foi recolhido um veículo, no bairro Cidade Alta, onde foi preso um rapaz e apreendido oito menores. O valor mínimo da multa, para quem for pego cometendo o crime de poluição sonora, é de R$ 5 mil, além de ter o veículo e equipamento apreendido até a decisão judicial. A princípio a Patrulha do Sossego conta com uma viatura da PM, e quatro agentes policiais, sendo dois da Polícia Militar e dois da Polícia Ambiental. As denúncias devem ser realizadas por meio do 190. Fonte: Agora MT

Presos 7 e fechados 10 bares em operação no Nortão

Presos 7 e fechados 10 bares em operação no Nortão

  A Polícia Militar prendeu sete pessoas e fechou aproximadamente dez bares, ontem, na operação "Ordem Pública", em Peixoto de Azevedo (217 quilômetros de Sinop), realizada com apoio do efetivo da região. Quinze soldados foram mobilizados, com auxílio de cinco viaturas e duas motos. Abordagens foram feitas em bares, lanchonetes e possíveis locais onde poderia existir a venda de drogas, além revistas nas ruas e rondas de prevenção.   Um homem, 25 anos, foi um dos primeiros a serem presos, em um bar. De acordo com a polícia, uma porção de substância análoga a maconha foi encontrada com ele. Outras duas pessoas ainda foram presas por porte ilegal de arma branca; uma por receptação de cigarros; uma por embriaguez; uma por resistir em ser revistada e outra por direção perigosa.   Conforme a polícia, o saldo da operação foi considerado positivo. Outra deve acontecer em breve no município.   Fonte: Só Notícias

Rodovias que ligam São Paulo ao litoral têm 34 deslizamentos

Rodovias que ligam São Paulo ao litoral têm 34 deslizamentos

    Quatro rodovias do litoral de São Paulo têm atualmente ao menos 34 pontos de desmoronamentos em seus entornos. Todos eles sob risco de novas quedas de terra.   É o que aponta um mapeamento feito pela Folha nas duas últimas semanas nas rodovias Anchieta (15 deslizamentos) e Imigrantes (5), no sentido do litoral sul, e Rio-Santos (8) e Mogi-Bertioga (6), no litoral norte paulista.   Segundo geólogos que acompanharam esse mapeamento, Anchieta, Rio-Santos e Mogi-Bertioga exigem mais cuidados --as duas últimas ficaram bloqueadas na última semana com deslizamentos.   Desses 34 pontos, ao menos 15 estão sob intervenção de máquinas e operários.   Na Mogi-Bertioga e na Rio-Santos, há rochas soltas nas encostas, que podem cair em caso de chuva forte.   Na Rio-Santos, um dos pontos atingidos continua parcialmente bloqueado, com estreitamento de pista.   O DER (Departamento de Estradas de Rodagem) trabalha em todos os pontos de deslizamento nas rodovias administradas pelo Estado.   Fonte: Folha de S. Paulo  

Carreta de soja pega fogo na BR-163
PERIGO

Carreta de soja pega fogo na BR-163

  Uma carreta bitrem pegou fogo na manhã deste sábado (23.03) no km 82 da BR-163. O motorista do veículo, Joel Rodrigues, seguia de Santo Antônio do Leste/MT para Araucaria/PR, quando foi surpreendido com a fumaça e o estouro de um pneu, onde o fogo teve início, e teve tempo apenas de desengatar o carro. As informações são do site Agora MT, de Rondonópolis. O Corpo de Bombeiros e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) foram atender a ocorrência. Conforme o sargento Assis casos de combustão espontânea podem acontecer e neste caso foi possível conter o fogo, mas a soja transportada foi danificada. A pista ficou interrompida por cerca de 40 minutos até a contenção do fogo, em razão do bitrem estar em uma terceira faixa o fluxo segue normalmente. Não houve feridos no incidente. Fonte: Débora Siqueira      

Homem tenta defender namorada do ex e é morto a facadas
VIOLÊNCIA

Homem tenta defender namorada do ex e é morto a facadas

  Um homem de 52 anos foi morto a facadas na madrugada deste sábado (23) em frente a um bar no Bairro Pedra 90, em Cuiabá. De acordo com o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), o homicídio foi registrado por volta das 4h. Segundo a Polícia Militar, a vítima estava conversando com a namorada em um bar, quando o ex-namorado dela chegou ao local e começou a discutir com eles.   "O suspeito estava enciumado por causa dela, pois tinham terminado. A intenção era matar a menina, mas a vítima tentou defender a namorada e acabou sendo esfaqueado", disse o tenente da PM, Jerosino Rodrigues.   Conforme a PM, o homem levou golpes no tórax e na perna direita. A namorada fugiu do local e chamou a polícia. O suspeito de cometer o homicídio fugiu do local, porém já foi identificado pela PM. A Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) passa a investigar o caso.   Fonte: G1  

Faculdade particular suspende aulas e universitários reclamam em Cuiabá
ENSINO SUPERIOR

Faculdade particular suspende aulas e universitários reclamam em Cuiabá

    Alunos das Faculdades Integradas de Cuiabá (FIC) denunciam que a instituição paralisou os cursos sem aviso prévio. Os universitários, que registraram boletim de ocorrência, alegam que a faculdade fechou as portas sem avisar os alunos e até os professores.   No entanto, o diretor das FIC, Acomerques Antônio, informou que a instituição não fechou as portas. Segundo ele, o prédio em que funcionava a faculdade era alugado e teve que ser desocupado por questões judiciais. O diretor disse também que emitiu comunicado aos alunos e professores e que as aulas serão retomadas em duas outras instituições de ensino.   Uma das universitárias, Rosenil de Oliveira, está no terceiro semestre do curso de secretariado executivo. Ela alega que está sem aula desde o dia 12 de março. ''Apenas existiu um bilhete que as aulas seriam suspensas e retornariam em um colégio particular. Fomos lá e a coordenadora disse que nada foi firmado com a faculdade”, declarou.   Outro aluno é Cristian Eduardo Oliveira, que está no último ano do curso de sistema da informação. O jovem tem medo de não conseguir o diploma. ''Era pra estar formando na metade deste ano. Só que agora não sei quando vou formar”, lamentou.   Os universitários dizem que não foram comunicados por telefone ou e-mail sobre a suspensão das aulas. Além desse problema, os professores da instituição falam que não recebem salário desde o ano passado.   A superintendente do Procon-MT, Gisela Simona, afirma que os estudantes podem pedir o dinheiro de volta ou cobrar da direção da faculdade a garantia de conclusão do curso. "O consumidor tem o direito de exigir o cumprimento dessa oferta, ou seja, que a própria instituição seja obrigada a se reorganizar", disse.   Fonte: G1